Tempo
|
A+ / A-

​OMS. "É muito cedo para prever o fim da epidemia de coronavírus"

12 fev, 2020 - 22:05 • Lusa

O número de novos casos relatados na China "estabilizou na semana passada", mas tal deve ser "interpretado com muita prudência", afirma o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde.

A+ / A-

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou, esta quarta-feira, que ainda é "muito cedo" para prever o fim da epidemia causada pelo novo coronavírus Covid-19.

"Penso que é muito cedo para tentar prever o início, o meio ou o fim dessa epidemia", disse aos jornalistas o chefe do departamento de urgências de saúde da OMS, Michael Ryan.

Ryan falava em conferência de imprensa na sede da OMS, em Genebra, onde estão reunidos centenas de especialistas na busca de uma forma de conter o coronavírus, que já matou mais de mil pessoas na China.

Três perguntas e respostas para perceber como se propaga o coronavírus
Três perguntas e respostas para perceber como se propaga o coronavírus

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que "o número de novos casos relatados na China estabilizou na semana passada", mas adiantou que tal deve ser "interpretado com muita prudência".

"Esta epidemia pode ir em qualquer direção", disse o responsável.

A conferência que a OMS está a organizar reúne várias centenas de especialistas em epidemiologia de todo o mundo para analisar formas de combater o vírus.

O Presidente chinês, Xi Jinping, saudou esta quarta-feira o "desenvolvimento positivo" da epidemia, com o número de novos casos a cair durante três dias, ainda que o total de vítimas ultrapassem as 1.100.

Na conferência de imprensa em Genebra Michael Ryan também se referiu ao que parece ser a estabilização do número de novos casos, devido principalmente ao que disse ser a enorme operação de saúde pública na China, com 60 milhões de pessoas em quarentena.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.