RR
|
A+ / A-

Corte de fundos para a coesão

"Até ao lavar dos cestos é vindima, mas o tempo é de luta"

12 fev, 2020 - 12:19 • Ana Carrilho

Vasco Cordeiro foi eleito para ser o primeiro vice-presidente do Comité Europeu das Regiões. No seu discurso sinalizou os desafios e as oportunidades para o futuro da Europa.

A+ / A-

O presidente do Governo Regional dos Açores foi eleito esta quarta-feira por aclamação primeiro vice-presidente do Comité Europeu das Regiões, para o mandato de 2020-2025. Vasco Cordeiro é o primeiro nesta função e que chegará à presidência no segundo semestre de 2022, se continuar a liderar o governo açoriano.

No seu discurso sinalizou os desafios e as oportunidades para o futuro da Europa e que podem fazer a diferença na vida dos cidadãos, sem deixar ninguém para trás. O primeiro grande desafio é o orçamento da União Europeia e para Vasco Cordeiro é claro que a sua redução por causa da saída da saída do Reino Unido), a concretizar-se, põe em causa não só a Política de Coesão mas todo o projeto europeu. Por isso, afirma que a hora é de luta.

“Não podemos desistir de tornar claro que o que está em causa não é apenas só mais uma política ou um instrumento. Estamos a falar do núcleo essencial no projeto europeu, a coesão económica, territorial e social.”, afirmou aos jornalistas, acabado de ser eleito. E recorrendo à expressão “Até ao lavar dos cestos, é vindima”, manifestou a esperança que o orçamento a aprovar não ponha este princípio em causa. “É preciso manter esta reivindicação, demonstrar a total incongruência entre a defesa da União Europeia e do seu projeto, quando ao mesmo tempo, com a proposta da Comissão e da presidência finlandesa, se põe em causa o pilar fundamental, que é a Política de Coesão. O tempo é de luta, uma proposta de orçamento que ponha isso em causa não é aceitável, concluiu Vasco Cordeiro.

Este é o primeiro desafio, mas a conferência sobre o Futuro da Europa e o European Green Deal são outros em que o poder local e regional têm um papel fundamental, defende o presidente do governo regional dos Açores.

“Brexit tem que nos despertar”

A presidência, na primeira parte do mandato vai ser assumida pelo grego Apostolos Tzitzikostas. No seu discurso de candidatura mas já com a certeza da vitória (o acordo para a eleição do presidente e vice-presidente foi alcançado ontem entre as duas principais famílias políticas, Partido Popular Europeu e Partido Socialista) deixou a ideia da necessidade de união para ter mais força e passar uma imagem mais credível para todos os cidadãos da União Europeia. “A diversidade que temos torna a UE mais forte e temos que respeitar as diferenças com diálogo. Precisamos de aproximar a Europa dos cidadãos e o Comité deve ver como é que a EU pode responder de forma mais eficaz às necessidades das populações. O Brexit tem que nos despertar e o Comité tem que falar alto e claro aqui em Bruxelas mas também nos nossos países”.

Os 320 membros do Comité Europeu das Regiões tomaram posse na terça-feira. Entre eles estão 12 portugueses, em lugares efetivos e outros doze, suplentes. Entre os primeiros contam-se os presidentes dos governos regionais da Açores e Madeira ( Vasco Cordeiro e Miguel Albuquerque) e dez presidentes de câmara ( Fernando Medina, de Lisboa; Ribau Esteves, de Aveiro; Miguel Alves, de Caminha; Cristina Calisto, de Lagoa, nos Açores; José Maria Costa, de Viana do Castelo; Basílio Horta, de Sintra; Helder Sousa e Silva, de Mafra; Isilda Gomes, de Portimão, Aires Couto Pereira, da Póvoa do Varzim e Ricardo Rio, de Braga.

É a primeira vez que Portugal tem um representante na vice-presidência do Comité Europeu das Regiões, criado em 1994, na sequência do Tratado de Maastricht. Uma assembleia que reúne os representantes locais e regionais dos (agora) 27 países membros. Com a saída do Reino Unido passou de 350 para 320 membros, neste mandato 2020-2025. Se ganhar as próximas eleições regionais nos Açores, que deverão ter lugar em outubro, Vasco Cordeiro assume a presidência do Comité a partir do segundo semestre de 2022. “Depende dos açorianos”, diz o presidente do governo regional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.