Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus. Presidente chinês faz rara aparição pública desde o início do surto

10 fev, 2020 - 22:17 • Lusa

Xi Jinping apareceu com uma máscara protetora durante visita a centro de controlo e prevenção.

A+ / A-

O Presidente da China, Xi Jinping, visitou esta segunda-feira, pela primeira vez desde o princípio do surto do novo coronavírus, uma área residencial de Pequim, para acompanhar o trabalho das autoridades de saúde.

De acordo com a agência France-Presse, o chefe de Estado chinês apareceu com o rosto coberto por uma máscara protetora e deixou as autoridades chinesas medirem a temperatura do antebraço com um termómetro eletrónico - uma prática que tem sido corrente em todo o país desde o início do surto -, enquanto conversava com vários moradores.

"A epidemia em Hubei e em Wuhan continua muito grave", reconheceu Xi Jinping, apelando às autoridades sanitárias a aplicação de "ações mais fortes e decisivas para conter definitivamente a onda de contágio".

As autoridades chinesas elevaram hoje para 908 mortos e mais de 40 mil infetados o balanço do surto de pneumonia na China continental causado pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

No domingo, segundo dados divulgados pela Comissão Nacional de Saúde da China, foram registadas no território continental chinês 97 mortes e detetados mais de 3.000 novos casos de infeção.

Três perguntas e respostas para perceber como se propaga o coronavírus
Três perguntas e respostas para perceber como se propaga o coronavírus

O número total de mortes ascende a 910, contabilizando as duas registadas fora da China continental, uma nas Filipinas e outra em Hong Kong.

O balanço ultrapassa o da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês), que entre 2002 e 2003 causou a morte a 774 pessoas em todo o mundo, a maioria das quais na China, mas a taxa de mortalidade permanece inferior.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 350 casos de contágio confirmados em 25 países. Na Europa, o número chegou hoje a 43, com quatro novas infeções detetadas no Reino Unido.

A situação motivou a marcação de uma reunião de urgência de ministros da Saúde dos países da União Europeia para quinta-feira, em Bruxelas, enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) enviou uma equipa de especialistas para a China para acompanhar a evolução.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.