Tempo
|
A+ / A-

PSD

​Direção de Rui Rio eleita com votação mais baixa desde 2007

09 fev, 2020 - 13:09 • Eunice Lourenço , Paula Caeiro Varela

Lista do líder foi a mais votada para o Conselho Nacional, com nomes associados a Montenegro em segundo lugar.

A+ / A-

Mais de um quarto dos congressistas sociais-democratas optaram por votar em branco na eleição da direção de Rui Rio.

A Comissão Politica Nacional (CPN) foi eleita com 541 votos a favor, o que representa 64, 4% dos votantes. Éo pior resultado de uma direção política desde 2007, quando a direção de Luis Filipe Menezes teve 61,8%.

A CPN de Rui Rio teve 227 votos brancos e 99 nulos e tem apenas duas mudanças nas suas vice-presidências.

Já para o Conselho Nacional, o órgão mais importante entre congressos, imperou a dispersão de votos, uma vez que os congressistas podiam escolher entre 10 listas.

A lista da direção, liderada por Paulo Rangel, foi a vencedora elegendo 21 dos 70 membros, enquanto a de Paulo Cunha, apoiada por Luís Montenegro, conseguiu 16 lugares.

Em número de votos, a lista liderada por Rangel teve 249 entre 867 votantes (28,7% dos votos expressos). A lista de Cunha, que é presidente da Câmara de Famalicão, teve 191 votos (22%).

Já para o Conselho de Jurisdição Nacional, a lista da direção, liderada por Fernando Negrão, foi vencida. Ganhou a de Paulo Colaço, que consegui eleger cinco dos nove membros. A lista da direção elegeu três e José Miguel Bettencourt, que também pertenceu ao CJN no último mandato, consegui ser eleito.

Para a mesa do congresso, a que só concorria a lista promovida pela direção e presidida por Paulo Mota Pinto, os resultados foram muito semelhantes aos da votação da comissão politica, com 539 votos a favor, 229 brancos e 98 nulos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+