Tempo
|
A+ / A-

Portugal é o país europeu que sente mais insegurança na Internet

07 fev, 2020 - 14:38 • Redação com Lusa

De acordo com dados revelados pela Intrum, o uso indevido dos seus dados pessoais na Internet é uma preocupação para 76% dos inquiridos, valor superior à média europeia.

A+ / A-

Portugal é o país europeu que sente mais insegurança na Internet e são os jovens dos 18 aos 21 anos que menos se preocupam com os seus dados pessoais, concluiu um estudo europeu divulgado esta sexta-feira pela Intrum.

No âmbito do Dia da Internet Segura, que se assinala na terça-feira, 11 de fevereiro, a empresa especialista na indústria de serviços de gestão de crédito divulgou o Relatório de Pagamentos do Consumidor Europeu, que recolheu dados de 24.398 consumidores em 24 países europeus. Em Portugal, foram realizadas 1.000 entrevistas.

O relatório coloca Portugal no primeiro lugar da tabela dos países europeus mais preocupados com a possibilidade dos seus dados pessoais poderem cair nas mãos erradas quando fazem compras online. Este sentimento é partilhado por 76% dos inquiridos portugueses, valor superior à média europeia que se situa nos 50%, enquanto o país que se sente mais seguro na Internet é a República Checa com uma percentagem de 35%.

No entanto, 85% dos portugueses inquiridos afirma nunca ter sido vítima de fraude com o cartão de crédito no último ano, o que demonstra que, apesar de os portugueses estarem bastante preocupados com os seus dados, grande parte nunca sofreu recentemente qualquer tipo de fraude online, refere o relatório.

Os dados mostram também que os portugueses com idades entre os 18 e os 21 anos preocupam-se menos com o uso indevido dos seus dados pessoais na Internet (68%) comparativamente com as restantes faixas etárias. Na Europa verifica-se a mesma tendência, apesar de os valores serem significativamente mais baixos, rondando os 45% e os 57%.

O relatório sublinha ainda que, tanto em Portugal como na Europa, são as mulheres que revelam uma maior preocupação com o tema, com uma percentagem de 79% para as portuguesas e 52% para a média das mulheres europeias. Os homens revelam uma percentagem de 73% e 49%, respetivamente.

A Intrum, que está presente em 24 países europeus, destaca que os resultados deste relatório são reforçados pelo recente estudo do Observatório de Cibersegurança, a que a Renascença teve acesso, que revela que os utilizadores em Portugal estão preocupados com o uso indevido dos dados pessoais. 73% dos inquiridos evitam revelar informação pessoal online e 75% estão preocupados com software malicioso.

O relatório europeu foi divulgado a propósito do Dia da Internet Segura, uma iniciativa anual que promove a consciencialização em torno do uso seguro, ético e responsável da Internet.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+