|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Desemprego cai em 2019, mas dá sinais de que pode voltar a subir

05 fev, 2020 - 11:50 • Marta Grosso com Lusa

Nos últimos três meses do ano, a taxa de desemprego registou a maior subida dos últimos sete anos.

A+ / A-

A taxa de desemprego em Portugal em 2019 caiu para 6,5% – uma diminuição de 0,5 pontos percentuais face à taxa de 2018, que foi de 7%. Os dados são divulgados nesta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

A melhoria fica, contudo, um pouco acima da meta estabelecida pelo Governo para o ano passado, que era de 6,4%.

Além disso, os números do INE deixam um alerta: “a taxa de desemprego situou-se em 6,7% no 4.º trimestre de 2019”. São mais 0,6 pontos percentuais face ao trimestre anterior e igual valor face ao trimestre homólogo.

Ou seja, há sinais de que a tendência decrescente poderá estar inverter-se.

No quarto trimestre do ano passado, a população desempregada foi estimada em 352,4 mil pessoas e aumentou 9,0% (29,0 mil) em comparação com o trimestre anterior e 0,9% (3,3 mil) em relação ao trimestre homólogo de 2018.

Já a população empregada (4.907,6 mil pessoas) diminuiu 0,8% (40,2 mil) em relação ao trimestre anterior e aumentou 0,5% (24,6 mil) em relação ao homólogo.

No que diz ao total do ano, a população desempregada, de 339,5 mil pessoas, diminuiu 7,2% (26,4 mil) em relação ao ano anterior, enquanto a população empregada, 4 913,1 mil pessoas, aumentou 1,0% (46,4 mil).

A taxa de desemprego de jovens (15 a 24 anos) situou-se em 18,3%, 2,0 p.p. abaixo do estimado para o ano anterior. A proporção de desempregados de longa duração foi 49,9%, tendo diminuído 1,2 p.p. em relação ao ano transato.

A taxa de subutilização do trabalho foi 12,7%, 1,0 p.p. abaixo da do ano anterior, correspondendo ao valor mais baixo da série iniciada em 2011, refere ainda o INE.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.