|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Marcelo só se pronuncia sobre eutanásia “no último segundo”

04 fev, 2020 - 14:13 • Paula Caeiro Varela , Filipe d'Avillez

Marcelo Rebelo de Sousa recusa dizer o que fará quando, ou se, a lei sobre a eutanásia chegar a Belém.

A+ / A-

O Presidente da República diz que ainda falta tempo até que o processo legislativo sobre a Eutanásia fique concluído.

Apesar de a discussão e votação de várias propostas sobre o tema estar já agenda para o próximo dia 20, Marcelo Rebelo de Sousa é evasivo quanto ao que fará quando o diploma chegar a Belém e até sobre o que pensa da reflexão feita até agora sobre a matéria.

O Presidente só se pronunciará no último segundo. “Neste tipo de matérias o Conselho Nacional de Ética dá os seus pareceres, as ordens pronunciam-se, as várias entidades ou já se pronunciaram ou vão pronunciar-se e o Presidente não se pronuncia até ao último segundo, e ao último segundo decide o que tem de decidir.”

Questionado sobre se é provável que vete uma lei da eutanásia, Marcelo foi evasivo. “Estamos a falar de uma realidade que está em curso, ainda longe da sua conclusão. Eu referi as várias outras componentes que vão, nestes meses próximos, ser notícia, e contribuir para a decisão final do Parlamento. Perante essa decisão final eu decidirei”.

Em silêncio até ao fim do debate no Parlamento, o Presidente lembra que já promoveu uma reflexão prolongada no passado e coloca na sociedade civil a possibilidade de continuar esse debate sobre a eutanásia.

“Eu suscitei junto do Conselho Nacional de Ética a iniciativa da realização de vários debates ao longo do ano, publicados em livro. Eu estive no início e estive no fim. Agora a sociedade civil pode promover outros debates, isso é uma iniciativa da sociedade civil. O Presidente da República deu o pontapé de saída, há uns dois anos. E agora aguarda calmamente, serenamente, para decidir sobre a matéria”.

O Presidente diz que é cedo para dizer como vai decidir, até porque “não é possível ter uma predeterminação sem saber se há decisão do Parlamento, e qual é a decisão”.

Marcelo Rebelo de Sousa falava à margem da primeira iniciativa de conversas entre alunos de escolas secundárias e artistas, promovida pela Presidência, no Palácio de Belém.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Desabafo Assim
    05 fev, 2020 18:13
    Que saudades vão deixar os dias de hoje, tínhamos tanto e não tivemos consciência disso, que mais pode ambicionar Portugal, brinquedos novos, modernos, parelhas e montes?
  • António Silva
    04 fev, 2020 16:00
    De facto, não há assunto mais adequado do que a eutanásia para se empregar a expressão "ultimo segundo". Marcelo igual a si próprio…, passando entre os pingos da chuva