|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Portugueses repatriados de Wuhan ficam em isolamento no Hospital Pulido Valente

02 fev, 2020 - 20:31 • Redação

O Ministério da Saúde disponibilizou as instalações onde vão ficar em "isolamento profilático" voluntário.

A+ / A-

O avião da Força Aérea que transportou os 18 portugueses e dois brasileiros retirados da cidade chinesa de Wuhan (foco do novo coronavírus) – o avião partiu ao final da tarde da base militar de Istres, a sul da cidade francesa de Marselha –, aterrou por volta das 20h30 na Base Aérea de Figo Maduro, em Lisboa.

Pouco depois, em conferência de imprensa, a ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou que os portugueses repatriados (e que foram desde logo, ainda em Figo Maduro, avaliados por uma equipa médica) concordaram ficar em "isolamento profilático" (ou seja, sem poder receber visitas) durante 14 dias no Hospital Pulido Valente, em Lisboa.

"Tudo continuaremos a fazer para que a tranquilidade regresse às suas vidas e dos seus familiares no mais curto espaço de tempo", referiu Marta Temido.

No hospital, os portugueses vão ser alvo de colheitas de material biológico, que depois vão ser analisadas no Instituto Ricardo Jorge. Só desta forma se saberá se algum estará infetado. Porém, à saída da China, onde todos foram alvo de teste ao novo coronavírus, as análises deram negativo. Segundo Marta Temido, os resultados serão apresentados “nas próximas horas”. Mas, "à partida", a ministra acredita que "estas pessoas não estão doentes”.

A China elevou para 362 mortos e mais de 17 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro). Além do território continental da China e das regiões de Macau e Hong Kong, há mais casos de infeção confirmados em 24 países.

As Filipinas anunciaram também a morte de um cidadão de nacionalidade chinesa, vítima de uma pneumonia causada pelo coronavírus. Foi a primeira vítima fatal registada fora da China.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

Vinte repatriados por França com teste negativo

As cerca de 20 pessoas repatriadas da cidade chinesa de Wuhan para a França suspeitas de estarem infetadas com o novo coronavírus (2019-nCoV) já foram testadas e os resultados foram negativos, anunciou o Governo francês.

Em declarações à estação de rádio "France Info", o secretário de Estado da Saúde, Adrien Taquet, apontou que, na verdade, tinham sido detetados sintomas que "não tinham nada a ver diretamente com o coronavírus", mas com constipações e outras condições similares.

Adrien Taquet acrescentou que, para esclarecer todas as dúvidas, essas pessoas foram testadas para o coronavírus na chegada à base militar de Istres, perto de Marselha (sudeste), tendo os testes dado resultados negativos para todos.

Mesmo assim, as cerca de 20 pessoas foram transferidas para os dois complexos de quarentena criados em França para os repatriados de Wuhan na região de Marselha, um num centro de férias em Carry Le Rouet e outro numa escola de bombeiros na cidade de Aix en Provence.

No voo viajaram 258 passageiros, dos quais 65 franceses. Até ao momento, há seis casos confirmados de infeção por coronovírus em França.


[notícia atualizada dia 3 às 9h00]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.