|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Novo diretor nacional da PSP sobre o caso da Amadora. “No vídeo vejo um polícia a cumprir as normas"

03 fev, 2020 - 21:21 • Ana Carrilho , com redação

Superintendente Manuel Magina da Silva tomou posse esta segunda-feira. Exige que os polícias "respeitem os direitos, liberdades e garantias" e promete "defender os bons agentes e que, muitas vezes, ​são injustamente atacados na praça pública".

A+ / A-

O novo director nacional da PSP considera que o agente acusado de agredir uma mulher na Amadora só cumpriu os regulamentos, segundo o que é possível ver num vídeo. Manuel Magina da Silva diz que o que se passou depois será esclarecido em sede de processo-crime e disciplinar.

Após a tomada de posse, na presença do primeiro-ministro e ministro da Administração Interna, Manuel Magina da Silva considera que é isso que lhe mostra o vídeo. No entanto, admite que é preciso aguardar pela conclusão do processo que está a ser conduzido pela Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI).

“No vídeo vejo um polícia a cumprir as suas obrigações e as normas em vigor na PSP. Volto a salientar: o que vi no vídeo. Há uma atuação legal e legítima de um agente da autoridade, há uma resistência a uma condução para identificação e há, efetivamente, uma ação de resistência ativa contra o agente que decide proceder à detenção. O que se passou depois, que não está documento no vídeo, será devidamente esclarecido no processo-crime e no processo disciplinar que está a decorrer na IGAI”, afirma o novo diretor nacional da PSP.

Manuel Magina da Silva diz concordar com o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que frisou que os polícias têm que cumprir a lei e respeitar os direitos fundamentais, sem extremismo.

O superintendente diz que isso vai acontecer, mas também a defesa dos "bons polícias, muitas vezes injustamente acusados na praça pública".

“Vamos exigir que os polícias cumpram com a lei, que respeitem os direitos, liberdades e garantias, que não tenham comportamentos discriminatórios e extremismos de qualquer tipo, mas também vamos defender os bons polícias e que, muitas vezes, são injustamente atacados na praça pública, quando apenas cumpriram as suas funções e os regulamentos em vigor”, sublinha.

Numa altura de contestação dos polícias, que têm feito diversas manifestações a ameaçam com mais, o novo diretor nacional pretende manter contactos periódicos e regulares com os sindicatos para que ambas as partes saibam o que se passa.

“A contestação social ou, eventualmente, a expressão de alguma insatisfação relativamente a categorias profissionais em que os polícias estão incluídos faz parte das regras do jogo da democracia, mas acredito que os sindicatos da polícia serão parceiros para trilharmos todos juntos o caminho certo”, declarou o superintendente Manuel Magina da Silva.

Um dos motivos de contestação dos operacionais da PSP é a falta de meios e condições de trabalho, mas também de novos elementos que possam rejuvenescer a corporação.

No discurso que fez na tomada de posse, o ministro Eduardo Cabrita anunciou que o Orçamento de Estado tem verba para a contratação de mais mil agentes, que deverão iniciar o curso ainda em 2020. Magina da Silva afirma que “os recursos nunca são suficientes”, mas considera que é um número "muito interessante".

Ainda assim, Magina da Silva considera que a PSP tem meios para cumprir a sua missão. Mas admite que a situação das viaturas é "critica", a taxa de inoperacionalidade é muito elevada e é algo que terá de ser resolvido, com a tutela.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jose
    06 fev, 2020 açores 17:20
    Oh vitor prata, tás a falar do video? E então depois do video? A questão não é o video, é a cara da Sra aparecer desfigurada depois de ter sido algemada. Ou é só para um lado a sua visão?
  • Vitor Prata
    04 fev, 2020 Lisboa 12:58
    Viu o Magina da Silva e viram todos os outros. No video nada se vê que possa ser imputado ao agente qualquer violacao dos seus deveres funcionais. Mas a ma-fe faz a alguns ver o que gostariam que tivesse sido para poder, como sempre, gritar racismo.
  • Francisco Sousa
    03 fev, 2020 23:50
    “No vídeo vejo um polícia a cumprir as normas". Então, nós temos duas hipóteses! Ou, o senhor diretor vê muito mal. Ou, as tais normas incluem agressões físicas violentas. Mas há ainda uma conclusão que, regra geral, podemos tirar da forma de atuar da P.olícia de Segurança Pública. E que é ser forte com os fracos e nem existir, nem assumir o seu papel para com aqueles que considera fortes, perigosos, etc, etc.
  • ze
    03 fev, 2020 aldeia 22:05
    "cumprir as normas" é esmurrar e dar cacetadas e pontapés e murros,até desfigurar uma mulher!........Fujam da policia.....quando esta deveria ser para ajudar as pessoas.