|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Governo anuncia apoios. Quem for trabalhar para o interior pode receber ajuda de até 4.800 euros

03 fev, 2020 - 08:00 • Isabel Pacheco , Carla Caixinha

Entre ajuda às empresas ou a criação de bolsas de emprego, há financiamento direto para quem se queira mudar para o interior.

A+ / A-

Para apoiar o emprego estável e o empreendedorismo social, os fundos regionais europeus vão abrir concursos no valor de 240 milhões de euros. O objetivo é beneficiar os territórios urbanos de menor dimensão, especialmente no interior.

Entre ajuda às empresas ou a criação de bolsas de emprego, há financiamento direto para quem se queira mudar e trabalhar no interior.

Um apoio, que segundo adianta à Renascença a ministra do Trabalho Ana Mendes Godinho, que pode chegar aos 4.800 euros. “Vamos lançar um apoio financeiro direto de 2.600 euros por pessoa, mas depois pode chegar aos 4.800 em função das despesas associadas aos transportes e às mudanças - é para ajudar no momento inicial da instalação onde vão trabalhar e, depois, também é variável em função do número de elementos do agregado familiar”, explica.

Entre as várias linhas de financiamento está a comparticipação, durante três anos, no salário dos trabalhadores para empresas do interior que criem novos postos de trabalho. A ministra fala do “ lançamento de um novo aviso “+ Coesão Emprego”, um programa gerido pelo Ministério da Coesão Territorial, em que se apoia o pagamento de salários por parte de empresas que contratem no interior”.

O aumento do valor das bolsas de estágio e do apoio aos migrantes que queiram regressar e fixarem-se no interior são outras dos apoios previstos pelo Governo que quer, assim, criar melhores condições para quem queira viver e trabalhar no interior.

Segundo Ana Mendes Godinho, “temos de ter foco em criar medidas de discriminação positiva para os territórios do interior para responder aos desafios que tem. Um dos principais é exatamente esta questão da capacidade de atração e fixação e pessoas e sabemos como o trabalho é fundamental para que isso aconteça.”

O Governo quer “criar condições mais apelativas para colocar o interior no mapa de quem está a decidir onde vai trabalhar”.

Os fundos abrem em março e vão ficar abertos até julho. Já o apoio máximo será de 82.106 euros, durante três anos.

Vão ser abertos três avisos: um dedicado ao emprego em territórios urbanos; um apenas para o interior; e um terceiro para IPSS com projetos de empreendedorismo social.Para todos, será financiado o custo de cada trabalhador, salário ou outras despesas obrigatórias.

Medidas fazem parte do programa de incentivos à criação de emprego no interior (+GO3SO Emprego) que é apresentado, esta segunda-feira, em Bragança.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Antonio Maurício
    03 fev, 2020 Sto Antonio cavaleiros loures 21:22
    Eu estou interessado em trabalhar no interior do país alguém me pode explicar como funciona essa linha de apoio financeiro? Sou o António Maurício de loures muito obrigado
  • Americo Anastacio
    03 fev, 2020 Leiria 12:05
    E para quem cá nasceu e continua a tentar sobreviver ?
  • Petervlg
    03 fev, 2020 Trofa 09:14
    Não sejam mentirosos