Tempo
|
A+ / A-

Espanha confirma primeiro caso de coronavírus

31 jan, 2020 - 22:36 • Redação com Lusa

Paciente é um homem de nacionalidade alemã. Há mais quatro casos suspeitos em investigação.

A+ / A-

Espanha confirmou esta sexta-feira o primeiro caso de coronavírus no país.

O paciente é um homem, de nacionalidade alemã, que foi diagnosticado na ilha de La Gomera, nas Canárias. Está internado num hospital.

Outras quatro pessoas estão em observação e em isolamento, adianta o Centro Nacional de Microbiologia de Espanha.

Este grupo esteve em contacto com o alemã que contraiu o coronavírus.

Em Portugal há um segundo caso suspeito de coronavírus. Trata-se de um homem que foi internado no Hospital de São João, no Porto.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) já confirmou, em comunicado, que este caso suspeito está a ser avaliado.

"Este doente regressou da China no dia 22 de janeiro, onde teve contacto com um cidadão com provável infeção pelo 2019-nCoV, e está a ser encaminhado para o Centro Hospitalar Universitário de S. João no Porto, Hospital de Referência para estas situações", adianta a DGS.

Portugal já tinha registado um caso suspeito no fim de semana passado, em Lisboa, mas os resultados deram negativo.

Aumenta para 259 número de mortos na China

O número de vítimas mortais devido ao novo coronavírus, detetado na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, aumentou para 259, anunciaram esta sexta-feira as autoridades de Pequim.

O número de pessoas infetadas subiu para 11.791 no país.

Este surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) foi detetado no final do ano em Wuhan.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 24 outros países, com as novas notificações na Rússia, Suécia e Espanha.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.