|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Orçamento europeu. Costa pede acordo rápido que "tempos não estão para divisões"

01 fev, 2020 - 12:00 • Susana Madureira Martins , Marta Grosso

Primeiro-ministro encontrou-se esta manhã com o seu homólogo croata. No final, pronunciou-se sobre o Brexit e a importância de o bloco europeu manter a coesão.

A+ / A-

António Costa quer assinar rapidamente o acordo para o orçamento da União Europeia. Depois de um encontro bilateral com o primeiro-ministro da Croácia, neste sábado, o chefe do executivo português apelou a um esforço de aproximação entre os Estados-membros.

“É importante que esse acordo seja feito o mais rapidamente possível, porque seria um mau sinal para a economia europeia que houvesse dúvidas sobre a continuidade do fluxo de financiamento de investimentos que são muito importantes serem realizados – sobretudo, quando se quer levar a sério desafios como as alterações climáticas, a transição digital, a melhoria da qualidade do emprego”, começou por afirmar aos jornalistas.

António Costa sublinhou que “esse acordo exige obviamente um espírito de compromisso” e que “temos de fazer um esforço de aproximação entre a proposta da Comissão e do Parlamento Europeu”.

“Os tempos na Europa não estão para conflitos institucionais, não estão para divisões, estão para coesão. É isso que importa dizer”, destacou.

Antes da cimeira da coesão que decorre este sábado em Beja, o primeiro-ministro falou do Brexit garantindo que a União Europeia se mantém coesa.

“É o primeiro dia em que a União Europeia está a 27 e, neste momento de divisão, é importante darmos uma imagem clara de coesão. E é por isso importante que possamos reunir aqui, em Beja, 17 Estados-membros, a Comissão, a presidência em exercício do Conselho Europeu, de forma a podermos afirmar uma mensagem muito clara de que a Europa está unida e que deseja reforçar a sua coesão”, afirmou.

“Por isso, neste dia em que vemos o Reino Unido deixar a União, é importante darmos esta mensagem clara de que a União se mantém coesa e seguirá em frente para continuar a servir cada vez melhor os povos europeus”, concluiu António Costa, num discurso feito ao lado do primeiro-ministro da Croácia.

Sobre o orçamento europeu, Andrej Plenkovik disse acreditar ser possível um acordo, mas que resta saber com que dinâmica será feito. Coesão, modernização, educação e alterações climáticas são as prioridade definidas pelo primeiro-ministro croata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.