|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Voo que iria repatriar europeus da China ainda não saiu de Paris

31 jan, 2020 - 08:15 • Redação

O atraso previsto é de 20 horas.

A+ / A-

O avião da companhia aérea Hi Fly fretado por França para ir buscar cidadãos portugueses e outros europeus a Wuhan, ainda não partiu de Paris. O atraso previsto é de 20 horas.

Dois portugueses em Whuan confirmaram à Renascença que a saída da China foi adiada e que a comunidade está a ser acompanhada por dois elementos da embaixada portuguesa de Pequim, que se deslocaram até lá.

Os diplomatas informaram os 17 cidadãos que o voo de regresso à Europa já não iria acontecer esta sexta-feira à tarde, como previsto. Já a reunião na embaixada francesa, marcada para às 18h00 (10h00 em Portugal) desta sexta-feira foi cancelada.

Os membros da embaixada portuguesa de Pequim estão a visitar todos os portugueses, que estão aconselhados a permanecer em casa, para entregar bens essenciais, como máscaras e água e perceber outras eventuais necessidades.

De acordo com um português, a comunidade portuguesa está tranquila e confiante que “amanhã será o grande dia” em que vão abandonar a cidade.

O Airbus A380, o maior avião comercial do mundo, que partiu na quinta-feira do aeroporto de Beja, está preparado para descolar já com pessoal médico francês a bordo, mas ainda não terá recebido a autorização final por parte do governo chinês.

O voo ainda vai fazer escala em Hánoi, no Vietname, para trocar de tripulação.

Segundo o comandante da Hi Fly deverão ser repatriadas 350 pessoas, incluindo cidadãos portugueses.

Fonte europeia disse à agência Lusa, na quarta-feira, que 17 cidadãos portugueses que estão na China - quase todos em Wuhan, na província de Hubei -, já pediram para deixar o país.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou uma emergência de saúde a nível global face à epidemia de coronavírus. O diretor-geral da OMS considera que a prioridade, agora, é "apoiar países com Serviços Nacionais de Saúde mais frágeis, acelerar produção de vacinas e combater desinformação”.

Até esta quinta-feira, a OMS registou 98 casos de coronavírus em 18 países fora da China, incluindo oito situações de transmissão ente humanos em quatro países: Alemanha, Japão, Vietname e Estados Unidos. "Até agora, não há casos mortais fora da China", afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O último balanço feito pelas autoridades chinesas revela que o surto já provocou a morte de 213 pessoas e que o número de casos de coronavírus confirmados ascende agora a 9.692.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.