Tempo
|
A+ / A-

Itália

Coronavírus. Análises descartam infeção em navio de cruzeiro

30 jan, 2020 - 21:32 • Lusa

Os sete mil passageiros foram autorizados a desembarcar assim que foram levantadas as suspeitas de contágio do novo coronavírus.

A+ / A-

Veja também:


Análises adicionais realizados esta quarta-feira, em Roma, capital de Itália, excluíram qualquer presença do novo coronavírus no casal chinês que apresentou sintomas associados a esta infeção e que obrigou a reter milhares de passageiros a bordo de um navio de cruzeiro.

De acordo com a agência France-Presse (AFP), os 7.000 passageiros que estavam retidos a bordo de um navio da companhia de cruzeiros Costa Cruzeiros no porto de Civitavecchia, uma cidade costeira nas imediações da capital italiana, foram autorizados a desembarcar assim que foram levantadas as suspeitas de contágio do novo coronavírus.

Os testes médicos preliminares realizados ao casal chinês tinham dado negativo à presença da infeção vírica, divulgou o Ministério da Saúde italiano.

Durante a tarde desta quinta-feira, informações não confirmadas avançaram que cerca de 1.100 passageiros tinham, entretanto, desembarcado.

Curry Cabral pronto a dar resposta a epidemia de coronavírus? “Só o futuro o dirá”
Curry Cabral pronto a dar resposta a epidemia de coronavírus? “Só o futuro o dirá”

O presidente da câmara daquela cidade costeira opôs-se de forma veemente ao desembarque das pessoas.

"Tenho de proteger a saúde dos meus concidadãos. Neste momento, apenas a bagagem será retirada do navio, não os passageiros. Ainda estamos à espera dos resultados dos testes do Hospital Spallanzani", afirmou o autarca de Civitavecchia, Ernesto Tedesco.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou esta quinta-feira uma emergência de saúde a nível global face à epidemia de coronavírus.

O 2019-nCoV foi detetado pela primeira vez na cidade de Wuhan, na província de Hubei (centro da China), no fim do ano.

O mais recente balanço das autoridades chinesas dá conta de 170 mortos, todos verificados na China, e mais de 7.700 pessoas infetadas.

Além do território continental da China, foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos da América, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália, Canadá, Alemanha, França (primeiro país europeu a detetar casos), Finlândia, Índia, Filipinas e Emirados Árabes Unidos.

Vários países acionaram nos últimos dias planos para retirar os respetivos cidadãos que tivessem manifestado vontade de sair do território chinês.

Um grupo de 17 portugueses, que se encontram em Wuhan, cidade atualmente isolada e em quarentena, vai ser retirado na sexta-feira, disse hoje um deles à agência Lusa.

O avião, que vai fazer o repatriamento dos cidadãos portugueses e de outros europeus desde aquela cidade, saiu hoje de manhã do aeroporto de Beja.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.