|
A+ / A-

​Coronavírus pode ser transmitido por doentes ainda sem sintomas

27 jan, 2020 - 00:51 • Redação com Lusa

O 2019-nCoV – designação provisória do novo coronavírus - é contagioso mesmo durante o período de incubação o que aumento o risco de propagação, revelam as autoridades chinesas.

A+ / A-

O coronavírus, que já matou 80 pessoas na China, pode ser transmitido por doentes que ainda não apresentem sintomas da doença.

O 2019-nCoV – designação provisória do novo coronavírus - é contagioso mesmo durante o período de incubação, que pode durar até 14 dias. A revelação foi feita este domingo pela Comissão Nacional de Saúde da China.

Esta característica torna mais difícil a detenção da doença e favorece a propagação do vírus, que já infetou mais de 2.300 pessoas na China e em mais de uma dezena de países.

“A rapidez de propagação do surto está a aumentar. Temo que isto continue assim durante algum tempo e que o número de casos de pessoas infetadas ainda aumente”, admitiu o diretor da Comissão Nacional de Saúde da China.

Ma Xiaowei disse, em conferência de imprensa, que os portadores da doença sem sintomas durante o período de incubação estão a fazer com que os casos se multipliquem mais rapidamente.

O que é o coronavírus e como se transmite?
O que é o coronavírus e como se transmite?

De acordo com o mais recente balanço, o número de mortos devido ao novo coronavírus detetado na China aumentou para 80, após 24 novos óbitos registados na província de Hubei, o epicentro do contágio. O número de casos confirmados aumenta para mais de 2.300 em todo o território chinês.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português desaconselha "viagens não essenciais" à China, devido ao novo coronavírus, justificando o alerta pelos eventuais riscos de saúde e pelas presentes limitações na circulação dentro do país.

Portugal continua livre do coronavírus. O primeiro caso suspeito de coronavírus no país deu negativo, após análises no Instituto Ricardo Jorge.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom, está a caminho da China para reunir-se com o Governo de Pequim e especialistas para discutir o atual surto de coronavírus.

Na rede social Twitter, Tedros Adhanom realça a necessidade de fortalecer a parceria com as autoridades chinesas, no sentido de ajudar a limitar esta crise.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pede ainda aos cientistas e investigadores que partilhem os conhecimentos e estudos científicos que têm sobre o novo vírus, mesmo que não tenham sido publicados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.