RR
|
A+ / A-

Coronavírus na China. Balanço sobe para 80 mortos e mais de 2.800 infetados

27 jan, 2020 - 00:25 • Beatriz Lopes, com Lusa

Autoridades de Pequim anunciam 24 novos óbitos e 371 novos doentes, na província de Hubei, o epicentro da epidemia.

A+ / A-
O que é o coronavírus e como se transmite?
O que é o coronavírus e como se transmite?

O número de mortos devido ao novo coronavírus detetado na China aumentou para 80, após 24 novos óbitos registados na província de Hubei, o epicentro do contágio, anunciaram as autoridades locais.

Nesta região foram detetados 371 novos doentes infetados pelo coronavírus (denominado provisoriamente 2019-nCoV), elevando o número de casos confirmados para mais de 2.800 em todo o território da China, segundo dados do Governo central.

O novo coronavírus foi detetado na cidade chinesa de Wuhan (centro) no final de 2019 e o anterior balanço apontava para 56 mortos na China.

Papa reza pelas vítimas do coronavírus
Papa reza pelas vítimas do coronavírus

A maioria das pessoas infetadas encontram-se no território continental da China, mas há também casos confirmados em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Austrália e Canadá.

Em Portugal, não se confirmou a infeção de um homem que apresentava suspeitas e que foi hospitalizado no sábado, em Lisboa, depois de ter regressado de Wuhan.

Quanto às duas dezenas de portugueses que estão na zona afetada, Lisboa admite retirá-las para Portugal, mas não esclareceu ainda o modo como irá proceder.

O ministro da Saúde chinês, Ma Xiaowei, alertou no domingo que os infetados podem transmitir a doença durante o período de incubação, que demora entre um dia e duas semanas.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, está a caminho da China para reunir-se com o Governo de Pequim e especialistas para discutir o atual surto de coronavírus.

Na rede social Twitter, Tedros Adhanom realça a necessidade de fortalecer a parceria com as autoridades chinesas, no sentido de ajudar a limitar esta crise.

A Organização Mundial da Saúde pede ainda aos cientistas e investigadores que partilhem os conhecimentos e estudos científicos que têm sobre o novo vírus, mesmo que não tenham sido publicados.

Durante aquele período, os infetados não revelam sintomas, o que anula o efeito das medidas de rastreio, como medição de temperatura nos aeroportos ou estações de comboio.

Os sintomas incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias.


[notícia atualizada às 8h12]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.