|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Luanda Leaks. Três administradores da NOS renunciam ao cargo

23 jan, 2020 - 18:02

Um deles é Jorge de Brito Pereira, presidente do conselho de administração e advogado da empresária angolana.

A+ / A-

Três administradores não executivos da NOS, que foram indicados pela acionista Isabel dos Santos, renunciaram aos cargos, segundo um comunicado da operadora, enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A causa da renúncia não é divulgada.

Jorge de Brito Pereira, presidente do conselho de administração e advogado da empresária angolana, Mário Filipe Moreira Leite da Silva e Paula Cristina Neves Oliveira apresentaram a sua demissão ao conselho fiscal da operadora.

Os nome dos três administradores está envolvido na investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas sobre o Luanda Leaks. Segundo a investigação, a Matter Business Solutions, a "offshore" no Dubai para a qual Isabel dos Santos terá desviado 115 milhões de euros da Sonangol, terá sido fundada pelo advogado Jorge Brito Pereira.

A par de Isabel dos Santos, Mário Leite da Silva e Paula Oliveira foram constituídos arguidos em Angola, esta quarta-feira.

Segundo o Jornal de Negócios, os três administradores não executivos foram chamados esta quarta-feira pelo Comité de Ética e pela Comissão de Governo Societário da empresa de telecomunicações.

As audições estão agendadas para a próxima segunda-feira, dia 27 de janeiro.

A Sonae já tinha feito saber que estava a acompanhar “com atenção e preocupação” as notícias do Luanda Leaks, principalmente as “alusões feitas a vários membros não executivos do conselho de administração da Nos”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.