|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Universitários de Trás-os-Montes querem organizar Missão País

20 jan, 2020 - 16:41 • Olímpia Mairos

Diocese de Vila Real vai receber quatro missões. Santa Marta de Penaguião, Murça, Ribeira de Pena e Montalegre são os concelhos que acolhem os jovens universitários.

A+ / A-

O Secretariado Diocesano da Juventude, Universidade e Vocações (JUV) de Vila Real quer dinamizar a Missão País na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

“Temos vilas que acolhem a Missão País e está na hora de darmos o passo e sermos nós a propor essas experiências a partir daqui”, explica o diretor do Secretariado Diocesano da Juventude, Universidade e Vocações, padre João Curralejo.

Já este ano, dois estudantes da universidade transmontana vão participar em missões de faculdades do Porto, com o objetivo de, no próximo ano letivo, dinamizarem essa semana de missão e voluntariado a partir da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Cátia Custódio, de 22 anos, estudante de medicina veterinária, vai integrar a Missão País em Baião, com a Universidade Católica Portuguesa do Porto, e parte com “expetativas elevadas”.

Não conhece ninguém do grupo e esse é apenas mais um desafio a sair de si para se “dar aos outros”, porque, diz à Renascença, o que a leva a integrar a Missão País é a “procura pela entrega, pela missão”, “dar um pouco” de si aos outros e “encontrar Deus nessa partilha, nessa entrega, nessa missão”.

Já Francisco Dias, 19 anos, estudante de engenharia florestal, vai integrar a Missão de Santa Marta de Penaguião, com o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Porto, em “resposta ao chamamento, ao apelo de fazer missão”.

O jovem, natural de Vouzela, refere que “a Diocese de Vila Real vai ter várias missões e, além de ser uma experiência nova, com todo o enriquecimento que tem, é também o poder dar o primeiro passo para organizarmos a Missão País, a partir da UTAD, e para irmos, no futuro, junto de outras localidades fazer um bocadinho do que têm feito por nós”.

“Missão País, o bem que nos fazem, também nós queremos fazer”, sintetiza o jovem.

Na Diocese de Vila Real vão realizar-se quatro Missões País, em 2020. Santa Marta de Penaguião, Murça, Ribeira de Pena e Montalegre são os concelhos que vão acolher os jovens universitários, proveniente de faculdades do norte do país.

Segundo o padre João Curralejo, organizar a Missão País a partir da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro pode ser “caminho para a criação de um núcleo de estudantes católicos que, em espírito de grupo e serviço, se ajudem mutuamente a viver a fé e fortaleçam os laços de amizade”.

“As missões são experiências fortes e são como que um despertar para a fé. Os jovens que participam, ficam com necessidade de mais e a tendência é para se agruparem e fazerem caminho juntos”, sublinha o responsável da pastoral juvenil.

A Missão País é um projeto católico de universitários para universitários. Envolve milhares de jovens em todo o país, que aproveitam a pausa entre semestres para contactarem com comunidades espalhadas por Portugal. Tem como objetivo levar Jesus às Universidades e evangelizar Portugal, através do testemunho da fé, do serviço e da caridade.

Os jovens da Missão País percorrem, durante uma semana, aldeias, lares e escolas e desenvolvem várias atividades como jogos, orações e teatro. A iniciativa não se limita aos estudantes católicos, há alunos sem vivência religiosa ou de outras religiões.

A iniciativa do Movimento Apostólico de Schoenstatt começou com 20 jovens missionários universitários em 2003. Segundo dados da Comissão Episcopal Laicado e Família, da Conferência Episcopal Portuguesa, desde a criação da Missão País, já foram realizadas 154 missões.

Em missão e a caminho para a JMJ 2022

Ao longo dos próximos meses o departamento da Juventude, Universidade e Vocações vai realizar um conjunto de iniciativas dedicadas aos jovens.

A caminhada diocesana com o “simbolismo da peregrinação” foi construída a partir da exortação "Christus Vivit" (Cristo Vive) e privilegia a formação dos jovens e dos agentes pastorais.

A próxima iniciativa está marcada para 15 de fevereiro, em Vila Pouca de Aguiar, será orientada por André Coelho que abordará o tema “Jovens: alegria e festa de encontro com Jesus Cristo”.

Para o tempo da quaresma, a 28 de março, está agendada uma caminhada inserida numa Via Sacra, em Constantim, Vila Real.

“Nesta época forte e de reflexão, os jovens são desafiados a parar para se juntar a outros jovens da mesma diocese que também procuram responder a tantas perguntas pessoais, da sociedade e da Igreja”, refere o padre João Curralejo.

Para além disso, a JUV propõe ainda que se façam caminhadas e outros encontros entre jovens ou agentes pastorais nos arciprestados e até nas unidades pastorais.

“Estes [encontros] podem servir para partilhar o que é feito a nível diocesano e para pôr em prática nos grupos e movimentos de cada lugar”, realça o responsável da pastoral juvenil.

O momento alto do ano será a vigília jovem que irá decorrer na Régua, a 6 de junho, na véspera do Dia da Diocese, que será em Mesão Frio. Os jovens são convidados a fazer uma noitada com várias atividades, momentos de partilha, oração, reflexão e de animação.

Para dar continuidade ao ano missionário, o departamento propõe ainda fins de semana hospitaleiros na Casa de Saúde do Bom Jesus, em Braga, com as Irmãs Hospitaleiras.

“A caminho da Jornada Mundial da Juventude, em 2022, em Lisboa, os jovens são chamados a dar mais de si aos outros, à Igreja e ao mundo, a dar o seu sim nas coisas pequenas, a fim de ser tornarem grandes”, conclui o sacerdote.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.