Tempo
|
A+ / A-

Isabel dos Santos acusada de desviar 100 milhões de euros. "É mentira", diz empresária

19 jan, 2020 - 19:20 • Cristina Nascimento

Operação financeira envolveu alguns portugueses. Empresária acusa o Expresso (jornal que, em Portugal, divulgou a investigação Luanda Leaks) de “racismo e preconceito”.

A+ / A-

A empresária angolana Isabel dos Santos desviou 100 milhões de euros da Sonangol para a Dubai. A notícia está a ser avançada por um consórcio internacional de jornalistas, que em Portugal é integrado pelo Expresso.

Segundo o semanário, durante seis meses, entre maio a novembro de 2017, no último terço do seu mandato à frente da Sonangol, Isabel dos Santos fez com que a petrolífera estatal angolana para a qual tinha sido nomeada pelo pai, quando José Eduardo dos Santos era ainda presidente de Angola, transferisse pelo menos 115 milhões de dólares de fundos públicos para o Dubai.

Ainda segundo o Expresso, as verbas foram justificadas como pagamento de serviços de consultoria prestados à Sonangol. As transferências tiveram como destino uma conta bancária de uma companhia offshore, a Matter Business Solutions, controlada pelo principal advogado da empresária angolana, o português Jorge Brito Pereira, sócio da Uría Menéndez, o escritório de Proença de Carvalho.

Portugueses envolvidos

Também de acordo com o semanário, além de Jorge Brito Pereira, estará envolvida também outra portuguesa, Paula Oliveira, amiga de Isabel dos Santos e única acionista da offshore no Dubai para onde foi transferido o dinheiro, bem como Mário Leite da Silva (CEO da Fidequity, empresa com sede em Lisboa detida por Isabel dos Santos e o seu marido) e Sarju Raikundalia (administrador financeiro da Sonangol).

Sobre a alegada participação de portugueses nesta operação, a antiga eurodeputada socialista Ana Gomes considera "completamente imoral, a título pessoal ou no quadro de empresas, que portugueses colaborem" na transformação de Portugal numa "lavandaria da criminalidade que rouba Angola".

"Racismo e preconceito", diz Isabel dos Santos

Isabel dos Santos já reagiu à publicação destas notícias, considerando que se trata de racismo e preconceito, através da rede social Twitter.

“A minha ‘fortuna’ nasceu com meu caracter, minha inteligência, educação, capacidade de trabalho, perseverança. Hoje com tristeza continuo a ver o ‘racismo’ e ‘preconceito’ da Sic e Expresso, fazendo recordar a era ‘colônias’ em que nenhum africano pode valer o mesmo que um ‘Europeu’”, escreve a angolana.

Desde a hora da divulgação das notícias, a empresária angolana fez várias públicações, acusando o "Expresso" e o jornalista que assina a notícia de estarem a mentir.

Numa das publicações, Isabel dos Santos deixa uma palavra de amizade ao povo português. "O povo de Portugal amigo do povo de Angola e não podemos deixar que alguns interesses isolados 'agitem' a amizade, e respeito que conseguimos conquistar e construir juntos", escreveu.

Escândalo internacional

O alegado desvio de dinheiro está a ser divulgado em todo o mundo, através de vários órgãos de comunicação social. A britânica BBC divulga fotografias de alguns dos 715 mil documentos que a investigação reúne, nomeadamente ordens de pagamento e recibos que atestam a transferência de dinheiro.

A BBC divulga ainda um vídeo com a reação de Isabel dos Santos. A empresária garante que está a ser alvo de uma perseguição e justifica o seu sucesso empresarial com a qualidade das pessoas que trabalham nas suas empresas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    19 jan, 2020 aldeia 19:29
    e assim se movimenta milhões por este mundo,quando há tanta fome em Angola!.....