RR
|
A+ / A-

Seleção A

Tiquinho Soares poderá jogar por Portugal a partir de março

16 jan, 2020 - 09:53 • Redação

O avançado do FC Porto reside em Portugal há cinco anos e vai pedir naturalização, segundo "O Jogo". Soares estaria ao dispor de Fernando Santos para a próxima convocatória da seleção.

A+ / A-

Tiquinho Soares deverá estar disponível para jogar pela seleção portuguesa de futebol a partir de março, segundo informa o jornal "O Jogo", esta quinta-feira.

O ponta de lança do FC Porto, de 28 anos, que está em grande forma - leva sete jogos seguidos a marcar como titular -, completou cinco anos de residência em Portugal e avança com pedido de nacionalidade ainda em janeiro. O processo pode ficar concluído em menos de dois meses, o que significa que Soares estaria disponível para representar Portugal em março, mesmo antes da próxima convocatória de Fernando Santos.

Explica "O Jogo" que a naturalização não é feita a pensar em jogar pela seleção nacional. No entanto, Soares, que chegou a Portugal em janeiro de 2015, para jogar no Nacional, está recetivo a ser convocado.

Que se saiba, Soares nunca jogou em nenhum escalão jovem da seleção brasileira, o que lhe possibilita representar Portugal. Ficará a cargo de Fernando Santos decidir se faz o mesmo com o avançado do FC Porto, que leva 13 golos esta época, o que fez com Dyego Sousa, ex-Braga.

Caso seja convocado, em março, para os jogos de preparação da seleção nacional para o Euro 2020, Tiquinho Soares seguirá os passos do companheiro de equipa Pepe e do seu representante, Deco, que também se naturalizaram. Os dois luso-brasileiros são, aliás, dos jogadores mais importantes da equipa das quinas das duas últimas décadas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.