|
A+ / A-

Benfica

Lage defende que dérbi de Alvalade devia ser ao fim de semana

16 jan, 2020 - 14:02 • Redação

O mesmo se aplica ao FC Porto-Braga, para o treinador do Benfica, que acredita que o adepto deve ser mais respeitado.

A+ / A-

Bruno Lage acredita que o dérbi entre Benfica e Sporting merecia melhor palco que uma sexta-feira à noite, assim como o duelo entre FC Porto e Sporting de Braga, que se realizará poucas horas antes.

Na conferência de imprensa de antevisão do dérbi de Alvalade, o técnico do Benfica vincou que, "às vezes, é importante questionar determinadas coisas" que acontecem no futebol português, "e porque acontecem".

"Em Inglaterra, estava a fazer um aquecimento e a meio chega-nos o quarto árbitro, com delegados da Federaçaão, a informar que o jogo tinha de ser adiado em 30, 45 minutos. Isto porque tinha havido um acidente na autoestrada, os adeptos não tinham chegado e tínhamos de esperar por eles. É respeito por quem viaja. O que é o futebol? São os adeptos. Temos de olhar sempre para o lado do adepto. Este jogo e o do FC Porto com o Braga mereciam ser a um fim de semana. Jogava-se às 15h00 e vivia-se um sábado de futebol como antigamente", assinalou.

"Outro caso"


Bruno Lage recordou, também, um episódio com a braçadeira de treinador, que aconteceu quando ainda estava de muletas, após cirurgia:

"Em Portugal, somos, ainda, o único país que usa a braçadeira de treinador no banco. No ano passado, estava de muletas e, num jogo, tirei a braçadeira, porque estava a incomodar-me, e meti-a momentaneamente no bolso. O quarto árbitro reparou e recebi uma multa de 500 euros por não ter a braçadeira no braço. Nós conhecemos todos os treinadores da I Liga, porque é que temos de estar identificado? São coisas que fazemos porque sim, mas não refletimos."

O Sporting-Benfica está marcado para sexta-feira, às 21h15. Terá relato em direto na Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.