|
A+ / A-

Estudo sobre poluição. ACAP diz que “estão a diabolizar os veículos a diesel”

13 jan, 2020 - 11:50

Associação ambientalista ZERO reconhece que "existe uma falha na legislação" em relação à poluição de novos carros a gasóleo.

A+ / A-

Um estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente concluiu que a poluição de novos carros a gasóleo atinge níveis mil vezes acima dos normais. Mas a Associação de Comércio de Automóveis de Portugal (ACAP) diz que é “uma questão de diabolização dos automóveis, em particular dos diesel”.

O estudo concluiu, com base numa análise a dois dos modelos automóveis mais vendidos na Europa, que “a poluição dos novos veículos a gasóleo atinge níveis mil vezes acima dos valores normais”.

“O diesel emite menos 15% de CO2 do que a gasolina. Eles dão como descartável esta situação e estão sempre a diabolizar o diesel, contudo, as pessoas transferem-se não para os elétricos, mas para os carros a gasolina”, sublinha à Renascença Hélder Barata Pedro, da ACAP.

Em comunicado, a associação ZERO recorda que "aquando da limpeza/regeneração dos filtros de partículas dos veículos atingem-se picos de emissão que são particularmente graves para o coração", sendo que "estas situações podem verificar-se em áreas urbanas a cada 15 quilómetros e são efetivamente ignoradas pelos testes oficiais de emissões".

"De uma forma geral, as partículas inaláveis podem aumentar significativamente o risco de doenças cardiorrespiratórias. Mais de 45 milhões de veículos contêm estes filtros de partículas na Europa, o que representa um total de 1,3 mil milhões de limpezas ("regenerações") por ano. Em Portugal, os cerca de 775 mil veículos a gasóleo equipados com filtros de partículas efetuarão, por estimativa, 23 milhões de limpezas por ano", refere a associação ambientalista.

Apesar de as partículas ultrafinas não serem medidas em testes oficiais, "são consideradas as mais nocivas para a saúde humana, pois penetram profundamente no organismo e estão associadas com o risco de cancro".

"O próximo regulamento europeu que defina os limites de emissão Euro deve acabar com estas falhas e estabelecer limites para todos os poluentes".

Francisco Ferreira, da ZERO, reconhece que “existe uma falha na legislação”, mas considera ser crucial perceber que para resolver esta situação é necessário apostar num maior uso dos transportes públicos e uma insistência na venda dos elétricos.



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J Cruz Pinto
    13 jan, 2020 ILHAVO 16:59
    Aah! E quando abrirem os olhos e destaparem o nariz, não se esqueçam de também abrir bem a boca! Assim respirarão muito melhor.
  • J M
    13 jan, 2020 Seixal 16:17
    ACAP antes de vir invocar a teoria da diabolização, faria melhor sensibilizar a opinião sobre os carros a diesel que andam a circular sem filtro de partículas. Como substituição do filtro sai caro e não é detectável nas inspecções, uns por negligencia, outros por oportunismo vão-se refugiando neste tipo de declarações irresponsáveis.
  • Cidadao
    13 jan, 2020 Lisboa 16:09
    Tanto Diesel como gasolina, são tecnologias poluentes e para as quais já há substitutos. Só que pelos motivos que todos calculamos, não estão ao alcance de todos. A transição dos fósseis para electricidade/hidrogénio faz-se de maneira demasiado lenta pela pressão dos lobbys habituais, pela relutância em investir e porque não dizê-lo, porque os impostos que o Estado arrecada na "ourivesaria combustíveis fosseis", dão cá um jeitão ... Quanto ao resto, entre estudos e contra-estudos, opiniões deste e daquele, isto é uma confusão pegada. Espero que a Tecnologia fale mais alto que este ruído todo.
  • José J Cruz Pinto
    13 jan, 2020 ILHAVO 13:55
    Faltava (ou aliás não) a ACAP, e não sei se também o ACP, virem com esta teoria da conspiração. E não é só aquando das limpezas dos filtros de partículas que a poluição adicional acontece - ela acontece diariamente durante a condução, e porventura não apenas por desleixo e inconsciência dos proprietários de veículos a diesel. É só abrir os olhos e destapar o nariz (deixando o ar exterior penetrar dentro do próprio veículo), enquanto se circula atrás de veículos a diesel. É bom não é? Pois então "aproveitem" e respirem fundo!