|
O Mundo em Três Dimensões
Números que contam histórias de segunda a sexta-feira (05h40, 17h50 e 21h05).
A+ / A-
Arquivo
O Mundo em Três Dimensões - Números - 13/01/2020
O Mundo em Três Dimensões - Números - 13/01/2020

O Mundo a Três Dimensões

O mistério do número 6.174

13 jan, 2020 • André Rodrigues e Paulo Teixeira (sonorização)


Um número que, aparentemente, nada tem de especial, tem deixado os matemáticos extremamente intrigados.

O mistério do número 6.174 No primeiro capítulo do Evangelho segundo São João, o versículo de abertura refere que "no princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus", Aquele que fez todas as coisas.

Todos os registos biográficos de João Evangelista referem o seu nascimento no sexto ano, depois de Cristo, e morte no ano 103. Embora não haja consenso em relação à idade com que morreu, é seguro afirmar que São João Evangelista terá vivido até bem perto dos 100 anos.

Pitágoras, foi o matemático grego conhecido pela introdução de um nome ainda mais complexo que o dele: a Hipotenusa.

Não era o nome da sua mulher e não tem nada a ver com pressão arterial, nem com cavalos.

A hipotenusa é o lado mais longo de um triângulo retângulo e, em qualquer triângulo retângulo, a soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.

Pois bem, dizia eu que Pitágoras considerava que "o princípio de tudo era o número".

Analisemos os números:

1, Deus único;

2, dia e noite, ou homem e mulher, ou preto e branco, ou mais e menos;

3, a conta que Deus fez, e por aí adiante, 7 é o número da perfeição e há tantos outros significados que damos a tudo o que são algarismos que, fora do contexto, nada valem.

Mas, quando os ligamos à realidade, eles explicam muita coisa.

Nada de superstições, é tudo uma questão de fazer contas: 6.174 é um número que, aparentemente, nada tem de especial, mas deixa os matemáticos extremamente intrigados.

Formando um número com quatro algarismos, por exemplo, 1.234, e subtraído ao 4.321, dá 3.087.

Pois, mas se continuar sucessivamente com as subtrações, ordenando os algarismos do aditivo por ordem decrescente e os do subtrativo por ordem crescente, vai chegar a um ponto em que a diferença vai dar 6.174.

A partir daí, não vale a pena continuar porque 7.641 - 1.467 = 6.174.

Repetindo o exercício com 9.865 e duas subtrações depois, lá está, outra vez, 6.174.

Lembre-se que 7 é o número limite de operações para chegar a este número misterioso. Se precisar de mais do que sete subtrações, é porque terá cometido um erro nos seus cálculos.

Outro número igualmente misterioso é o 495, o exercício é exatamente o mesmo: 954 - 459 é igual a 495.

Uma vez mais, fazendo uma experiência, à sorte, com 201, em cinco subtrações, cheguei ao 495. Daí para a frente, o exercício torna-se redundante.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.