|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Piloto Paulo Gonçalves morre no Dakar

12 jan, 2020 - 09:38 • Carla Fino , Marta Grosso

O piloto português sofreu uma queda fatal. As reações dos colegas não se fizeram esperar. "Eras, és e serás sempre um Grande!", escreve Félix da Costa.

A+ / A-

Paulo Gonçalves morreu neste domingo durante a sétima etapa do Rali Dakar 2020. A notícia é avançada no site oficial da prova. O piloto corria na moto n.º 8 e sofreu uma violenta queda ao quilometro 276 da especial.

O alerta foi dado às 10h08, tendo sido enviado de imediato um helicóptero médico, que “chegou ao motociclista às 10h16”, descreve o comunicado.

Quando os paramédicos chegaram ao local, já Paulo Gonçalves se encontrava inconsciente, após sofrer uma paragem cardíaca.


Após os esforços de ressuscitação, o piloto foi levado de helicóptero para o Hospital Layla, onde acabou por ser declarada a morte.

Paulo Gonçalves tinha 40 anos e participava pela 13ª vez no Dakar – que este ano decorre pela primeira vez na Arábia Saudita.

Há precisamente um ano, o piloto tinha sofrido um traumatismo craniano também durante o Dakar. Terminou esta prova do deserto quatro vezes no top 10 e estava agora em 46º lugar geral, após a etapa 6.

“Toda a caravana de Dakar gostaria de estender suas sinceras condolências aos amigos e familiares” do piloto, termina a nota oficial da organização.

"Eras, és e serás sempre um Grande!"

As reações à morte de Paulo Gonçalves não se fizeram esperar nas redes sociais, por parte de colegas e amigos do piloto.

Miguel Oliveira, piloto em Moto GP, deixa um elogio no Facebook.


Félix da Costa, piloto de automóveis em Fórmula E (para carros elétricos), diz que “o desporto e Portugal ficam hoje bem mais pobres”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.