Tempo
|
A+ / A-

Bragança

"Nunca mais a violência, nunca mais o ódio", pede D. José Cordeiro, evocando estudante assassinado

11 jan, 2020 - 21:22 • Agência Ecclesia

Mais de duas mil pessoas percorreram a cidade transmontana para recordar Luís Giovani Rodrigues.

A+ / A-

O bispo da Diocese Bragança-Miranda associou-se este sábado à marcha silenciosa, em solidariedade com o jovem cabo-verdiano Luís Giovani Rodrigues, que faleceu a 31 de dezembro, na sequência de agressões sofridas 10 dias antes.

“Nunca mais a violência! Nunca mais o ódio! Sim a mais fraternidade! Sim a mais Paz! Sim a mais cultura da Vida e do Amor”, pediu D. José Cordeiro, na homilia da Missa a que presidiu, no final da iniciativa.

O responsável católico assinalou que a Igreja Católica não poderia ficar “indiferente” a esta iniciativa dos “irmãos e amigos estudantes africanos e do Instituto Politécnico de Bragança.

“Queridos Jovens, muito e muito obrigado pelo vosso testemunho de fé, de fraternidade e de Esperança”, declarou, numa intervenção divulgada, online, pela diocese transmontana.

A Marcha Solidária saiu do Instituto Politécnico de Bragança, percorrendo as artérias da cidade, antes da celebração da Eucaristia, às 17h00, na Catedral local; a homenagem incluiu uma vigília, acompanhada, simbolicamente, por velas e flores, na Praça da Sé.

Na Missa a que presidiu, D. José Cordeiro sustentou que “Bragança é cada vez mais uma cidade internacional e multicultural, sendo a diversidade uma enorme riqueza”.

“De todos depende, simultaneamente, que a nossa cidade seja cada vez mais uma terra de paz, de justiça, de diálogo, de boa convivência, de reconciliação e de harmonia social com uma cidadania ativa, inclusiva e corresponsável”, acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim Santos
    12 jan, 2020 Tojal 23:33
    "De todos depende, simultaneamente, que a nossa cidade seja cada vez mais uma terra de paz, de justiça, de diálogo, de boa convivência, de reconciliação e de harmonia social com uma cidadania ativa, inclusiva e corresponsável”, acrescentou. Sim! Assim será se o senhor bispo lhe ensinar os 10 mandamentos, e eles os cumprirem. Caso contrario, teremos mais soldados de Satanaz a morrerem no seu campo de batalha.
  • Farto
    12 jan, 2020 calemsedeumavez 11:36
    Ainda não estão fartos do histerismo à volta deste caso? É que há muito que deixou de ser um crime, investigado e resolvido, para passar a ser um caso de aproveitamento da situação a todos os níveis. Andam a lucrar com a morte do tipo, uns para ter tempo de antena, outros para descarregar a bílis, e uns e outros na maior parte dos casos nem o conheciam e estão-se nas tintas para o tipo. São é hipócritas.

Destaques V+