RR
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

O surto verbal

10 jan, 2020 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Sem a concordância dos lisboetas, o Vitória de Setúbal perde toda sustentação da sua tese, e em função da qual o jogo marcado para amanhã à noite pretendia que o estado clínico de muitos seus jogadores fosse tido em conta.

No campeonato das palavras, não há apenas um campeão em Portugal.

De um modo geral, todos usam e abusam da argumentação verbal para defender aquilo que consideram ser os seus interesses, sejam desportivos ou de outra odem.

O que aconteceu nestes dias à volta do possível adiamento do jogo entre o Vitória de Setúbal e o Sporting Clube de Portugal aprazado para manhã à noite é disso o exemplo mais recente.

De um lado, o dos vitorianos, razões ponderáveis e susceptíveis de provocarem a alteração da data de um desafio que os regulamentos não contemplam.

Do outro, o dos leões da capital, argumentos aceitáveis e baseados num calendário exigente que os sportinguistas têm pela frente, e que obriga a sua equipa principal a estar presente nas diversas competições à vista no horizonte próximo.

Os regulamentos vêm, entretanto, ajudar ao desempate.

E esse funciona a favor do clube da capital. Ou seja, sem a concordância dos lisboetas, o Vitória de Setúbal perde toda sustentação da sua tese, e em função da qual o jogo marcado para amanhã à noite pretendia que o estado clínico de muitos seus jogadores fosse tido em conta.

Pelo meio surgiram já argumentações diversas, a última das quais aponta no sentido de a direcção leonina ter colocado o seu departamento médico à disposição dos setubalenses para ajudar a debelar a crise gripal, oferta entretanto rejeitada pelos seus pares de Setúbal.

Um caso? Talvez, mas pouco.

O rigor dos regulamentos tira a Liga de Clubes desta discussão e, assim sendo, só há que esperar pelo início do jogo no estádio do Bonfim, na cidade do Sado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.