|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

Francisco Sarsfield Cabral
Opinião de Francisco Sarsfield Cabral
A+ / A-

Ideologia e ensino

10 jan, 2020 • Opinião de Francisco Sarsfield Cabral


Só os estudantes do ensino público recebem manuais gratuitos. Mas os alunos carenciados não deixam de o ser por frequentarem escolas privadas. Só que a ideologia predomina.

São distribuídos gratuitamente manuais escolares a alunos do ensino público. Os alunos carenciados do ensino particular ou cooperativo não gozam desse benefício. Ora, como ontem se lia no jornal “Público”, “os alunos carenciados não deixam de o ser por frequentarem escalas privadas”.

A provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, recomendou ao ministério da Educação que promova uma alteração legislativa de maneira a pôr termo a esta injustiça. Não é que a provedora considere inconstitucional que apenas os estudantes do ensino público tenham acesso a manuais gratuitos durante toda a escolaridade obrigatória. M. L. Amaral afirma, com razão, que a presente situação tem “efeitos perversos”, pois não acautela casos de carência económica de alunos do ensino privado e cooperativo.

Mas as escolas privadas não são apenas para os ricos? Não. Há ricos e pobres em ambos os lados, embora haja mais alunos ricos no ensino privado, naturalmente.

Em 2016 no ensino básico e secundário em Portugal apenas 5% dos alunos do privado recebiam financiamento estatal – três vezes menos do que a média em 21 países europeus. Esta originalidade portuguesa foi referida por Graça Franco, a partir do blogue da Fundação Francisco Manuel dos Santos, num artigo de 19 do mês passado.

Nesse artigo Graça Franco insurgia-se contra a eliminação de mais cem turmas sujeitas a contratos de associação. Ora esta discriminação no acesso aos manuais gratuitos, tal como a “facada” dada aos contratos de associação do Estado com escolas privadas, é mais um passo na afirmação ideológica que entre nós predomina desde que o PS manda, para mostrar que “é de esquerda”. Não há europeísmo que aqui valha.

O ensino tem-se revelado o campo ideal para este enviesamento ideológico. Vejam-se os programas do secundário, por exemplo. Há que formatar as cabeças das crianças e dos jovens para os “valores laicos e republicanos”. Por isso tudo se faz em favor do ensino público e em prejuízo do ensino privado.

Assim, não deposito grandes esperanças em que seja atendida por este governo a sensata proposta da provedora de Justiça quanto aos manuais gratuitos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • DOL
    10 jan, 2020 Almada 17:50
    Há mais orientações ideológicas nos programas e docs... É só ler com atenção...
  • António Silva
    10 jan, 2020 Porto 10:17
    São os católicos que votam no PS! Muitas vezes até com o apoio mais ou menos evidente na praça pública por parte de figuras destacadas da Igreja Católica.
  • Cidadao
    10 jan, 2020 Lisboa 08:42
    Ninguém impede os pais, de inscreverem os filhos em Escolas e Colégios Privados. Desde que paguem as propinas do seu bolso, ninguém tem nada com isso. Agora, quem não tem dinheiro, não tem vícios. Querer ter filhos no ensino privado - que como qualquer negócio, visa o lucro - mas com as propinas pagas pelo Estado que somos todos nós, isso é que não pode ser, principalmente porque é não é para todos mas apenas e só para uma minoria, e porque já pagámos para ter Escola Pública.