Tempo
|
A+ / A-

"O que fez a rainha para merecer isto?" O mundo a reagir à renúncia de Harry e Meghan

09 jan, 2020 - 20:12 • Redação com agências

Harry e Meghan, duques de Sussex, anunciaram esta quarta-feira que se irão afastar das obrigações próprias da realeza, passando a viver entre o Reino Unido e os Estados Unidos, de forma financeiramente independente.

A+ / A-

Os duques de Sussex, Harry e Meghan, anunciaram esta quarta-feira no seu perfil oficial de "Instagram" a intenção de abdicar dos cargos de “membros sénior” da família real inglesa e de se tornarem “financeiramente independentes”.

Apesar de terem salientado a intenção de honrar sempre os seus deveres “para com a rainha” e de dividir o tempo entre o “Reino Unido e os Estados Unidos”, a opinião pública tem criticado a opção do casal e até a própria família real está a reagir com alguma reticência.

“Assuntos complicados que demoram tempo a serem tratados” afirma a Rainha Isabel II

A rainha Isabel II afirmou que, apesar de compreender “o desejo do casal para enveredar por uma abordagem diferente [do que é tradição]”, estes tópicos exigem tempo e esclareceu que “as conversações com os duques de Sussex ainda se encontram numa fase inicial”.

Segundo fontes próximas, a rainha não terá gostado do anúncio público do seu neto e, segundo avança a agência Reuters esta quinta-feira, estão a ser criadas equipas especializadas para acompanhar o casal, com vista a chegar a soluções que agradem a todos nos próximos dias.

Entretanto, a mulher de William, irmão de Harry, celebra esta quinta-feira o seu aniversário e a família real, na sua conta oficial do Twitter, publicou fotografias da duquesa de Cambridge com a rainha, anexando um link que permite verificar o trabalho, considerado por muitos, exemplar de Kate, que muito possivelmente será a próxima rainha de Inglaterra.

Museu Madame Tussauds já afastou Meghan e Harry da restante família real com o apoio da opinião pública

O museu que expõe figuras em cera de personalidades famosas anunciou o afastamento dos (ainda) duques de Sussex da restante família real, ressalvando, contudo, que ambos os membros do casal são das figuras mais acarinhadas pelos visitantes e que “estão a aguardar pelos próximos capítulos” da vida de Harry e Meghan.

Na imprensa internacional, sobretudo britânica, muitas são as vozes a manifestar-se contra à decisão e à forma como esta foi tornada pública.

As críticas mais comuns acusam Harry e Meghan de serem egoístas e de não terem pensado na rainha quando tomaram esta decisão.

Relembrando alguns casos polémicos de Harry, nomeadamente, quando surgiram imagens do princípe em Las Vegas, os britânicos acusam o filho da princesa Diana de ser mimado e de não respeitar as pessoas que admiram e acompanham a família real inglesa.

Meghan Markle também não escapa às críticas, com a colunista Virginia Blackburn a insinuar que o facto da ex-atriz ter "crescido num país onde os Kennedy são considerados aristocratas, não a permitiu perceber que fazer parte da família real "não é como ser uma celebridade".

Uma correspondente especialista em assuntos de realeza, Camila Tominey, lançou mesmo a questão “o que fez a rainha para merecer isto?”.

Meghan Markle e Harry casaram-se em maio de 2018 e já têm um filho em comum. Contudo, a ex-atriz norte-americana tem enfrentado algumas dificuldades de adaptação ao mundo da realeza, nomeadamente, com a imprensa e também com determinadas obrigações protocolares.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.