Tempo
|
A+ / A-

Pico da gripe já passou. Este foi o melhor ano de sempre

09 jan, 2020 - 12:07 • Liliana Monteiro , Marta Grosso

O Algarve só agora entrou em atividade gripal moderada. No Alentejo não há registo de casos.

A+ / A-

O pior já passou. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela diretora-geral da Saúde, segundo a qual a época gripal deste ano foi de intensidade baixa a moderada.

Nesta altura, está estável e com tendência decrescente, afirmou Graça Freitas, indicando que este é o melhor ano em termos gripais.

“Na região norte a atividade gripal tem uma tendência descendente, tal como na zona centro. Já na zona de Lisboa e Vale do tejo a atividade da gripe está num planalto, mas estável. Na região do Alentejo não se ultrapassou a linha basal, aparentemente não teve atividade gripal epidémica. O Algarve entrou agora em atividade gripal mas de baixa intensidade”, adiantou a diretora-geral da Saúde.

No SNS vacinaram-se mais 9% a 10% do que em anos anteriores. Neste momento mais de dois milhões de portugueses estão vacinados com uma vacina que a OMS garante que é efetiva. Também os profissionais de saúde se vacinaram mais este ano, assim como os grupos de risco por patologias cronicas, explicou Graça Freitas.

Os níveis entre os jovens, que costumam ter uma incidência forte da gripe neste momento, estão em franca descida, os adultos estão estáveis e também os idosos têm tido menos gripe.

É preciso recuar quatro anos para encontrar uma atividade gripal como a que está a ocorrer nesta altura. A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou que “há quatro anos era também ela baixa e moderada, mas manteve-se durante mais dias do que está a acontecer este ano”.

Tudo indica que o vírus B, que afeta Portugal, teve início na primeira semana de dezembro, sofreu um crescimento e está agora numa fase estável/decrescente.

Este vírus é diferente do que circula no resto da Europa, que é da estirpe A.

[Notícia atualizada às 15h17]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.