RR
|
A+ / A-

Governo. Exploração de lítio arranca no primeiro trimestre de 2020

28 dez, 2019 - 16:22 • Lusa

A previsão é do ministro Matos Fernandes.

A+ / A-

O ministro do Ambiente e Ação Climática mostrou-se convencido que as explorações de lítio no país possam arrancar no primeiro trimestre de 2020, após a aprovação de um decreto-lei que deixe claras "as novas exigências ambientais".

"Para haver um concurso para a prospeção e depois a eventual concessão dos nove locais que estão determinados, com sendo aqueles onde há uma maior existência de lítio, tem de ser precedido de uma nova lei, para que haja um conjunto de garantias, à cabeça, nomeadamente, ambientais. Tenho, desde ontem [sexta-feira], essa nova proposta de decreto-lei", disse aos jornalistas João Matos Fernandes, que falava em Torre de Moncorvo, à margem da inauguração do parque ambiental Aires Ferreira.

O governante concretizou que só após a aprovação do decreto-lei, "o concurso de exploração de lítio está em condições de ser lançado".

"Nunca sei dizer qual é o calendário da aprovação de um decreto-lei, porque tem de ser promulgado pelo senhor Presidente da República, mas tudo quero acreditar que até ao final do primeiro trimestre de 2020, a exploração de lítio tenha o seu início", vincou o governante.

Para João Matos Fernandes, a exploração de lítio "é uma grande oportunidade para Portugal" e é necessário "conjugar tudo isto numa nova estrutura legal".

O Governo quer criar em 2020 um 'cluster' do lítio e da indústria das baterias e vai lançar um concurso público para atribuição de direitos de prospeção de lítio em nove áreas do país.

A aposta faz parte da proposta de Orçamento do Estado para 2020.

No documento, na rubrica sobre recursos geológicos e mineiros, afirma-se, sobre as propostas para 2020: "Lançar o concurso público para atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de lítio e minerais associados, para nove áreas do território nacional".

Pretende-se, acrescenta o Governo, "assegurar uma exploração sustentável das reservas de lítio existentes" no país, e desenvolver um cluster em torno deste recurso, "que permita dar passos significativos e determinantes na cadeia de valor, ultrapassando as operações de mera extração e concentração, para investir também na metalurgia e em atividades de maior valor acrescentado no âmbito da indústria de baterias".

A aposta no lítio faz parte de um conjunto de outras propostas no âmbito do Ministério do Ambiente e Ação Climática.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.