RR
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

​O gesto

24 dez, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Sporting Clube da Covilhã alinha com apenas oito jogadores para ficar em igualdade numérica com o adversário.

Do Interior deste país, quase sempre tão maltratado a todos os níveis, mas donde nos chegam com frequência coisas boas e notícias de verdadeiros atos de solidariedade, acabamos de ter conhecimento de um gesto a que certamente uma grande parte dos portugueses não teve acesso, mas que fica a constituir um exemplo edificante do que deve ser a solidariedade.

Vamos então à notícia: “Sporting Clube da Covilhã alinha com apenas oito jogadores para ficar em igualdade numérica com o adversário”. Sendo importante o título, convirá não deixar cair alguns importantes pormenores que se lhe seguem.

Pois bem: tratava-se de um jogo de juvenis a disputar entre os covilhanenses e a formação de Vila Velha de Rodão, a contar para a sexta jornada do Campeonato Distrital de Castelo Branco, no qual a equipa da localidade da margem do Tejo não pode contar com mais de oito jogadores, por dificuldades de ordem vária mas, sobretudo, derivadas de lesões e doenças.

Perante tão desagradável situação, o treinador serrano decidiu alinhar também com apenas oito atletas. E mais: porque um jogador de VVRodão se lesionou durante o jogo, o mesmo técnico fez sair um jogador da sua equipa para ficar igualmente com apenas sete.

Interessa pouco o desfecho deste curioso desafio, que até foi muito desnivelado e a favor do Sporting da Covilhã. Será mais importante acrescentar que foram assinaladas quatro faltas e não foi mostrado qualquer cartão. E dizer ainda que os treinadores destas duas equipas dão pelos nomes de José Rosa e João Inácio.

Neste tempo de Natal, em que a solidariedade anda de boca em boca, é importante revelar este gesto, grande gesto, que certamente vai cair no esquecimento sem merecer o destaque que realmente merece.

Não há prémios para gestos destes Senhora Federação Portuguesa de Futebol?

Do Interior veio, mais uma vez, um exemplo edificante…

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Diogo Pinto
    29 dez, 2019 Vila Nova de Gaia 09:12
    Sr. Jornalista Ribeiro Cristóvão : - compreendi perfeitamente o seu artigo ; mas repare , será que foram cumpridos os regulamentos ; será possível iniciar um jogo de futebol de 11 , quando uma equipa só tem disponibilidade para apresentar 8 ; será este jogo legitimo , ou será que foi apenas um treino entre uma equipa que viajou de Lisboa e fez uma visita de futebolês à Covilhã ? Certamente concordamos que gestos nobres , tais como ações de solidariedade , manifestações de afeto e demonstrações de respeito , engrandecem , seja em que área for , á mesma . Mas , neste caso , neste jogo , que é o futebol , eu alinho pelo cumprimento das regras ! Se calhar , tal como poderá você , Portugal não se paute pelo cumprimento de regras , normas , obrigações e crenças , mas , desta vez , penso que nem o Marcelo Rebelo de Sousa tinha á bondade de atribuir uma medalha ao Sporting da Covilhã , bem como á Federação Portuguesa de Futebol ! Sr. Jra. Ribeiro Cristóvão , tenha um bom 2020 ! Respeitosos cumprimentos .