Tempo
|
A+ / A-

Mensagem de Natal - Coimbra

Presépio é sinal da grandeza de Deus, diz D. Virgílio

20 dez, 2019 - 14:36 • Filipe d'Avillez

O bispo de Coimbra convida os fiéis a reencontrar “o verdadeiro espírito do Natal na simplicidade, nas relações humanas, no coração e na espiritualidade”.

A+ / A-

O bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, aponta para o presépio como “um sinal desta grandeza de Deus que vem ao nosso encontro”, mas também à “grandeza do ser humano que Ele quis elevar enquanto sua criatura”.

Recordando que o Papa Francisco elegeu o presépio como tema da mensagem de Natal, o bispo gravou a sua diante do presépio dos bombeiros sapadores de Coimbra, lamentando que a sociedade tenha, ao longo dos anos, perdido “essa ligação com alguns dos sinais mais importantes da vivência da fé cristã e desta humanidade que tanto precisa de se refazer a partir das coisas simples e pequenas como são as figuras do presépio, como são estas representações quase infantis, mas com um alcance tão grande que podem ajudar a transformar muitíssimas pessoas por dentro, no coração e na vida”.

Neste sentido o bispo pede que os fiéis de Coimbra, e não só, voltem a viver mais “a partir de dentro, a partir do coração, como nos ensinou Jesus do presépio, do que a partir das futilidades que entram facilmente em nós, vindas de fora. Futilidades essas que contrastam radicalmente com o espírito do presépio e com o espírito de Natal que nos tem vindo a ser anunciado ao longo dos séculos.”

“Precisamos de reencontrar o verdadeiro espírito do Natal na simplicidade, nas relações humanas, no coração, na espiritualidade e em tudo o que nos define enquanto pessoas que estão disponíveis para irem ao encontro do seu próximo”, diz ainda o bispo, antes de desejar a todos “o fundo do coração, um santo e feliz Natal”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+