Tempo
|
A+ / A-

Função Pública. Sindicatos deixam reunião com o Governo de “mãos vazias”

09 dez, 2019 - 21:04 • Redação, com Lusa

“Não ficámos porque não nos foi apresentada uma proposta de salários", disse Ana Avoila, da Frente Comum. Proposta será apresentada na quarta-feira.

A+ / A-

Os sindicatos da Administração Pública, Fesap e Frente Comum, saíram da reunião desta segunda-feira com o Governo com “uma mão vazia e a outra cheia de nada".

A Frente Comum chegou mesmo a abandonar reunião com a equipa da ministra da Modernização do Estado, Alexandra Leitão, por ausência de proposta de aumentos salariais.

“Não ficámos porque não nos foi apresentada uma proposta de salários. E como nós temos a prioridade dos salários, não nos sentamos com o Governo sem uma proposta de salários e um calendário para o resto das matérias. Recusámos discutir qualquer coisa que não fosse a matéria salarial”, afirma Ana Avoila, da Frente Comum.

Na mesma linha, o secretário-geral da Federação Sindical da Administração Pública (Fesap), José Abraão, saiu da reunião com o Governo sobre matérias orçamentais para a administração pública com "uma mão vazia e a outra cheia de nada", já que não foram apresentadas propostas concretas.

O dirigente da Fesap lamentou que na reunião com o secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, tivesse sido apresentada uma "declaração de intenções", a uma semana da entrega da proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) no parlamento.

Os dirigentes sindicais esperavam que o Governo apresentasse uma proposta de atualização salarial para 2020, mas segundo contaram o Governo remeteu a proposta para a reunião agendada para quarta-feira.

"Temos de ser mais objetivos, mais concretos e esperamos que se possam criar as condições para um acordo negocial (...) mas com medidas concretas e não com um conjunto de ideias de que inovador tem pouco", afirmou José Abraão.

Para o dirigente da Fesap, entre as prioridades estão aumentos salariais, a ADSE ou a necessidade de repor o direito aos 25 dias úteis férias na administração pública.

"Esperamos que estas medidas possam estar contempladas no Orçamento do Estado para 2020", disse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.