RR
|
A+ / A-

Protestos em França. Estradas cortadas, comboios parados e confrontos em Paris

07 dez, 2019 - 16:31 • Redação com Reuters

Camionistas bloqueiam o acesso a várias autoestradas e apenas um em cada 10 comboios regionais circulam este sábado, devido à greve.

A+ / A-

O acesso a autoestradas de cerca de dez regiões de França foi este sábado interdito por dezenas de motoristas de transportes de mercadorias, que mantêm a greve como forma de protesto contra a anunciada redução da devolução do imposto sobre os combustíveis.

Os serviços de metro e comboio estão, também, fortemente condicionados e apenas um em cada 10 comboios regionais circulam este sábado.

Em Paris, vários manifestantes entraram em confrontos com a polícia, durante mais uma manifestação dos“coletes amarelos”, que este fim-de-semana viu o número de participantes diminuir devido à greve dos transportes.

A pressão combinada do movimento “coletes amarelos” com os protestos sindicais contra a alteração do sistema de reformas, representam um enorme desafio para Emmanuel Macron que terá de reunir as condições necessárias para apresentar um orçamento de Estado equilibrado, na segunda metade do seu mandato.

Um desafio que não será fácil tendo em conta que, por um lado há uma meta ambiental a cumprir e, por outro uma organização sindical de transportes que promete avançar com uma greve por tempo indeterminado se o aumento nos impostos sobre os combustíveis avançar.

No projeto de orçamento para 2020, o Governo francês propõem reduzir gradualmente as isenções fiscais em combustível para caminhões entre 1 de julho de 2020 e 1 de janeiro de 2022.

A medida deverá ter um retorno orçamental de cerca de 140 milhões de euros, em apenas um ano, que será usado para financiar uma nova infraestrutura de transporte. O projeto de lei terá ainda de ser aprovado no parlamento, em meados de dezembro.

A greve geral em França começou na passada quinta-feira e deverá continuar até à próxima segunda-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.