|
A+ / A-

Évora

Obras para reabilitar o centenário Teatro Garcia de Resende arrancam em 2020

02 dez, 2019 - 18:24 • Rosário Silva

Objetivo é melhorar segurança, funcionalidade e conforto do teatro, de estilo neoclássico, que foi inaugurado em 1892.

A+ / A-

As obras de reabilitação do lendário Teatro Garcia de Resende (TGR), em Évora, vão arrancar no início de 2020. A sala de espetáculos da cidade-museu, cujo nome homenageia o poeta eborense do Renascimento, vai ser alvo de uma intervenção, repartida por duas fases e que envolve um investimento de 1,7 milhões de euros.

“É absolutamente marcante e um símbolo para a cidade”, afirma à Renascença o presidente da Câmara Municipal de Évora, manifestando a sua satisfação pela intervenção que, finalmente, é possível concretizar para “melhorar substancialmente um conjunto de aspetos do teatro”.

“Ainda que não seja a intervenção global que o teatro mereceria”, lamenta Carlos Pinto Sá, é, no entanto, “um primeiro passo que orgulhará os eborenses que gostam muito do seu teatro, aliás, um símbolo em termos nacionais e europeus”.

De acordo com a indicação do projeto, a primeira fase vai incidir nos espaços exteriores, o “Espaço de Acolhimento do Teatro”. Vão ser beneficiadas com um arranjo urbanístico, as áreas envolventes, sendo mantido o parque de estacionamento, com 78 lugares, devidamente reparado. Os trabalhos arqueológicos, que agora se iniciam, deverão estar concluídos em meados de janeiro do próximo ano, dando lugar, verdadeiramente, ao arranque da obra.

Segue-se, então, a segunda fase das obras. Vão incidir no interior do edifício privilegiando a segurança, nomeadamente contra o risco de incêndios, a funcionalidade e o conforto, criando condições também para os cidadãos com mobilidade reduzida. Se tudo correr de feição, esta fase deverá arrancar em março de 2020 para se prolongar por vários meses, levando ao encerramento temporário do teatro, classificado como Imóvel de Interesse Público.

“A cultura é um pilar estratégico para o desenvolvimento de Évora e o teatro, que é histórico, tem de ter condições para receber iniciativas culturais, continuando a desempenhar um papel importante na dinâmica cultural da cidade”, refere Carlos Pinto Sá.

A reabilitação física e funcional do TGR acontece graças à aprovação de uma candidatura a financiamento, apresentada pelo município eborense, ao Programa Operacional Alentejo 2020, no âmbito do PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, e insere-se na estratégia municipal de regeneração urbana e revitalização do Centro Histórico de Évora.

Construído entre os anos de 1881 e 1890, o Teatro Garcia de Resende foi inaugurado a 1 de junho de 1892. A Companhia Eborense Fundadora do Teatro Garcia de Resende foi responsável pela sua construção. Adriano da Silva Monteiro desenhou o edifício em estilo neoclássico, fortemente influenciado pelos teatros italianos do séc. XVIII.

O declínio do TGR agravou-se durante o Estado Novo, tendo ficado praticamente ao abandono até que, em 1969, foram realizadas obras que alteraram inteiramente o seu aspeto exterior.

Foi reabilitado depois do 25 de abril de 1974 e desde 1975 que tem como companhia residente, o CENDREV - Centro Dramático de Évora.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.