|
A+ / A-

Sporting ainda não ultrapassou ataque em Alcochete, diz Vítor Oliveira

03 dez, 2019 - 15:36 • Redação

Treinador do Gil Vicente recorda que o ataque na academia teve consequências desportivas graves e que o clube ainda não conseguiu ultrapassar.

A+ / A-

O Sporting ainda não recuperou desportivamente do ataque na Academia. A opinião é de Vítor Oliveira, treinador do Gil Vicente, que acredita que foi um "incidente excessivamente grave" e que o clube precisa de tempo para retomar o estatuto.

"Com o incidente da academia e a saída daqueles jogadores todos e as alterções financeiras que as saídas implicaram, eles valeriam muito mais. O clube depois iria reforçar-se de maneira difernte. Alguns até ficariam, parece que foi ultrapassado de ânimo leve, voltaram quase à normalidade, com um discurso de campeão, que tudo se mantinha, quando todos perceberam que deixou marcas profundas, que têm sido arrumadas para segundo plano e procurados bodes expiatórios, quando eles não existem. O problema da Academia foi excessivamente grave e Sporting precisa de tempo para voltar a ser o grande clube que já foi", disse, em conferência de imprensa.

Vítor reforça que o atual plantel do Sporting tem poucos grandes jogadores, e recorda as saídas nos últimos três anos degradaram a qualidade da equipa.

"Sempre defendi que o mais importante são os jogadores, sempre o disse. As boas equipas fazem-se com bons jogadores, por melhor que seja o treinador. Nos últimos três anos, saíram uns 14 ou 15 jogadores que dariam uma equipa fortíssima se ficassem. Qual é a equipa que deixa sair 15 jogadores e continua a ser forte? É preciso entender isto. Fui acusado de dizer que os jogadores do Sporting eram pernas de pau, mas não disse isso, não disse isso, tem poucos grandes jogadores, é inquestionável", acrescenta.

Sporting com problemas físicos

O treinador gilista não nega que as suas palavras possam ter espicaçado os jogadores do Sporting, mas recorda que os leões vão disputar o terceiro jogo em sete dias e que não terão grande frescura física.

"Pode espicaçar, é evidente, vão querer dar resposta diferente, mas há um problema, o Sporting jogou quinta, domingo e agora quarta, são três jogos em menos de uma semana. Isto tem o seu custo em termos físicos, o jogador pode não apresentar o mesmo rendimento, mesmo que queira", disse.

Vítor não encontra em excesso de confiança uma justificação para a vitória de domingo, e recorda que o plantel vinha motivado após uma vitória por 4-0 frente ao PSV Eindhoven, na Liga Europa.

"Não diria excesso de confiança. O Sporting tem feito época muito irregular e vinha de uma vitória categorica contra o PSV, uma das boas equipas holandesas e da Europa. Uma vitória por 4-0 é um tónico importantíssimo. Provavelmente, os jogadores convenceram-se de que estavam em retoma e iriam passar com maior ou menor dificuldade", remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.