|
A+ / A-

Kikas vence circuito mundial de qualificação de surf

03 dez, 2019 - 17:12 • Lusa

O surfista português terminou a última prova, no Havai, na 57.ª posição. Kikas já tinha garantido a subida ao circuito mundial de 2020.

A+ / A-

O surfista português Frederico Morais, também chamado de Kikas, venceu o circuito mundial de qualificação (WQS) de 2019, esta terça-feira, após terminar a 57.ª e última prova, a World Cup of Surfing, no Havai.

Kikas, que já tinha assegurado o regresso ao circuito mundial (WCT), somou 26.400 pontos, mais 2.600 e 3.200 do que os brasileiros Jadson André e Yago Dora, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

No World Cup of Surfing, no qual foi finalista em 2016, o português não foi além do 33.º lugar. Perdeu na terceira ronda frente ao francês Michel Bourez e ao havaiano Cody Young. A prova foi vencida pelo australiano Jack Robinson.

O sul-africano Matthew McGillivray, os australianos Jack Robinson, Ethan Ewing, Connor O'Leary e Morgan Cibilic e os brasileiros Alex Ribeiro, Miguel Pupo e Deivid Silva, que ainda ocupa um lugar de permanência no "ranking" do circuito principal em 2020, são os outros surfistas que acompanham os presentes no pódio entre a elite.

O surfista natural de Cascais, de 27 anos, sucedeu como vencedor do WQS ao japonês Kanoa Igarashi.

Este ano, Frederico Morais venceu três provas neste circuito, o Hawaiian Pro (10.000 pontos), o Azores Airline Pro (6.000) e o Pro Santa Cruz (3.000), além de ter garantido uma vaga para Portugal na estreia da modalidade nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao ser o melhor europeu nos Mundiais.

Em 2016, quando se qualificou para a primeira vez para o WCT, o português terminou o circuito de qualificação no terceiro lugar, seguindo-se o 14.º posto no circuito principal, em 2017, e a despromoção, no ano passado, com o 23.º lugar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.