|
A+ / A-

I Liga

Carlos Carvalhal lamenta falta de eficácia do Rio Ave frente ao Braga

03 dez, 2019 - 00:58 • Redação

O treinador dos vilacondenses considera que foi esse o fator decisivo para a derrota da sua equipa, em Braga, por 2-0.

A+ / A-

Carlos Carvalhal acredita que o que ditou a derrota (2-0) do Rio Ave, no terreno do Sporting de Braga, na 12.ª jornada da I Liga, foi a eficácia.

"Numa análise muito resumida, podemos dizer que o jogo foi a eficácia do Braga e a ineficácia do Rio Ave", assumiu o treinador da formação vilacondense, no final do encontro, em declarações à Sport TV.

O Braga "teve maior domínio na primeira parte", ainda que tenha marcado "numa altura em que não tinha criado grandes situações. "O Kieszek foi chamado a intervir por uma vez, mas esse domínio e posse de bola justificava o resultado ao intervalo", concedeu Carvalhal.

Na segunda parte, a equipa do Rio Ave foi "mais desinibida e afoita", com maior circulação de bola e "duas perdidas flagrantes". "Na primeira e única oportunidade na segunda parte, o Braga fez o 2-0", lamentou.

Carlos Carvalhal deixou, ainda, um recado sobre Mehdi Taremi: "Julgo que há uma ideia preconcebida [dos árbitros] sobre ele. A verdade é que o perdi por dois meses por entradas duras. Ele não se faz aos penáltis, é um jogador perigoso que tem levado uns valentes cacetes desde que chegou a Portugal. No jogo com o Sporting, sofreu três penáltis que o VAR [videoárbitro] reviu, não foram inventados. Num desses lances, sofreu uma lesão que o afastou cerca de um mês. É importante rever todas as situações e não ir para o jogo com ideias preconcebidas"

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.