|
A+ / A-

Benfica

Bruno Lage diz que o Benfica merecia ter vencido, mas que o empate faz justiça ao Covilhã

03 dez, 2019 - 22:29 • Redação

O treinador do Benfica assume que faltou à sua equipa aproveitar as várias oportunidades de que dispôs.

A+ / A-

Bruno Lage queria e acredita que o Benfica merecia ter derrotado o Sporting da Covilhã, na segunda jornada do grupo B da Taça da Liga. Contudo, assume que o empate (1-1) faz justiça ao esforço dos serranos.

"Não marcámos os golos que devíamos ter marcado, principalmente na segunda parte. Surgiu uma carambola, metem-se em vantagem, foram-se aguentando da maneira que puderam e mereceram o empate. Mas penso que, pelo volume de oportunidades, podemíamos ter dado a volta. Tivemos quatro ou cinco oportunidades para marcar e, por aquilo que fizemos, merecíamos ter vencido o jogo, mas pela forma como o Covilhã se bateu connosco, é um ponto justo para eles", reconheceu o treinador encarnado, no final da partida, em declarações à Sport TV.

A aposta em Zivkovic e mais nove

Zivkovic fez os primeiros minutos pelo Benfica, esta época. A aposta de Lage, e logo para titular, prendeu-se com a necessidade de apostar no jogo interior, já que o Covilhã ia tentar desviar o Benfica para as alas:

"Procurei o jogo interior dele, com o pé esuerdo e ocasiões de finalização. Jota e Zivkovic, com pés contrários, procuraram esse tipo de situações. Eu digo aos jogadores que, independentemente do número de minutos, quando entrarem, têm de se mostrar. A avaliação fica para mim."

Bruno Lage promoveu, ao todo, dez novidades, na equipa inicial, na Covilhã. O técnico não escondeu que, "com um plantel vasto e a jogar de três em três dias", é importante "dar oportunidade a outros jogadores". "Queremos ter toda a gente pronta para jogar", assinalou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.