|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Falta de comparência

02 dez, 2019 • Opinião de Ribeiro Cristovão


É difícil imaginar a possibilidade de o Sporting ainda poder ser considerado candidato a qualquer título nas provas em que toma parte.

Da jornada do fim-de-semana, que só vai terminar logo à noite com os dois jogos que faltam para cumprir o calendário, ressaltam dois contrastes flagrantes que resultam das exibições dos dois grandes lisboetas.

De um lado, o Benfica, capaz de produzir uma excelente exibição e alcançar um bom resultado no jogo com o Marítimo, contrariando aquilo que de menos acontecera poucos dias antes na Liga dos Campeões Europeus.

Do outro lado, o Sporting, vindo de um jogo de qualidade e resultado a condizer em jornada da Liga Europa, e sua lastimável actuação em Barcelos, onde mais lhe valeria ter perdido por falta de comparência. (“Não estivemos no jogo”, disse Bruno Fernandes no final).

Frente ao Gil Vicente, os leões terão produzido a sua pior exibição da ainda curta temporada, deixando bem à vista a baixa qualidade da grande maioria dos jogadores que compõem o plantel leonino. O seu primeiro remate neste jogo, frouxo e à malha lateral, surgiu apenas aos 42 minutos. Por tudo isto é caso para reforçar a declaração final de Jorge Silas (“assim não há equipa que resista”.) acrescentando nós “assim também não há treinador que resista”.

Olhando, em retrospectiva, para o que aconteceu em Barcelos, é difícil imaginar a possibilidade de o Sporting ainda poder ser considerado candidato a qualquer título nas provas em que toma parte: no campeonato está a treze pontos do líder da tabela, a 22 jornadas do fim, na Taça da Liga são evidentes as suas dificuldades, restando a Liga Europa, na qual chegou à fase a eliminar com mérito é verdade, mas fazendo parte de um lote agora preenchido por candidatos mais sérios.

O Benfica, ao contrário, confirmou o nível global dos jogadores de que Bruno Lage dispõe desde o começo da época, mercê de uma bela exibição perante a equipa do Marítimo.

E sem as “invenções” de Bruno Lage em jogos da Liga dos Campeões, o panorama seria agora seguramente diferente na maior competição da Uefa de clubes.

Resta aguardar pelo Futebol Clube do Porto de logo à noite. Mas, em casa, tendo como adversário o debilitado Paços de Ferreira, outra coisa não será de esperar que não seja um desfecho condizente com a capacidade actual de ambos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.