|
A+ / A-

Ministro do Ambiente envia carta a Greta. Portugal "tem estratégia muito ambiciosa"

01 dez, 2019 - 11:17 • Marta Grosso

Matos Fernandes agradece à ativista o trabalho de sensibilização e diz que “Portugal dos países que mais sofre com as alterações climáticas”.

A+ / A-

O ministro do Ambiente escreveu uma carta a Greta Thunberg, ativista sueca que se encontra a caminho de Portugal via marítima, para depois seguir para Madrid e participar na cimeira do Clima.

Em inglês, João Pedro Matos Fernandes começa por afirmar que Portugal é “o primeiro país a comprometer-se com a meta da neutralidade carbónica até 2050, mas com grandes ambições já para a década de 2020 a 2030”.

Passando a apresentar, em termos gerais, o plano de redução energética do país – adiantando que pretende, até 2030, alcançar 50% de redução do total de emissões de gases com efeito de estufa – o ministro sublinha que não existe em Portugal “qualquer central nuclear”.

Face à sua proximidade com o mar, “Portugal é um dos países europeus que mais sofre com os efeitos das alterações climáticas”, tendo já “perdido 13 km quadrados de costa”.

“No Sul, a seca é crónica e teremos de aprender a adaptar os nossos recursos”, afirma ainda.

Matos Fernandes termina a carta a reafirmar que o país tem “uma estratégia muito ambiciosa, que segue com rigor que [as alterações climáticas] sejam um problema atual e não de futuro”.

“Obrigado pelo seu ativismo, como meio de sensibilizar todos, velhos e novos, para o maior desafio dos nossos tempos”, termina.

Greta Thunberg chega a Lisboa na terça-feira de manhã. O anúncio foi feito pela ativista no Twitter.


No porto de Alcântara, será recebida pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e deverá falar aos jornalistas.

Poucas horas depois, a jovem sueca partirá de comboio para Madrid, onde começa, no dia 2, a Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP25), que decorre até dia 13.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 01 dez, 2019 12:49
    Entao e o novo aeroporto e para fazer onde?