|
A+ / A-

“Mais ajuda”. Renascença, RFM, Mega Hits e Lidl lançam campanha de Natal solidária

30 nov, 2019 - 15:27 • Ricardo Vieira

Programa “Mais Ajuda” é o nome da ação inovadora de apoio à comunidade, que decorre entre 2 e 31 de dezembro. As verbas angariadas revertem para instituições sociais que ajudam crianças e para ‘startups’ com impacto social reconhecido.

A+ / A-

Em época de Natal e de partilha, as rádios Renascença, RFM e Mega Hits juntam esforços com os supermercados Lidl para colocar em marcha uma campanha solidária inovadora de norte a sul do país.

Programa ‘Mais Ajuda’ é o nome da ação. As verbas angariadas revertem para instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e para ‘startups’ com impacto social reconhecido.

Entre 2 e 31 de dezembro, por cada talão de compras com artigos “Deluxe” nos supermercados Lidl, 20 cêntimos serão entregues aos projetos empreendedores selecionados ao abrigo do programa ‘Mais Ajuda’, para que estes possam desenvolver e implementar novas soluções de apoio social.

As inscrições para participação abrem em janeiro de 2020, depois de apurado o valor final recolhido.

Neste primeiro ano, os projetos das instituições sociais concorrentes devem ter como beneficiárias as crianças. Já as ‘startups’ devem demonstrar impacto social nos seus objetivos. A seleção dos projetos fica a cargo de um júri.

O objetivo do ‘Mais Ajuda’ é apoiar projetos inovadores com impacto social, capazes de encontrar novas respostas para problemas sociais, como também desenvolver e aprofundar boas práticas junto do terceiro setor.

O programa foi estabelecido em parceria com a Beta-i, uma empresa com 10 anos a fomentar o empreendedorismo e inovação a nível internacional, que se alia agora ao apoio a causas com impacto social, como as que o Lidl e as rádios Renascença, RFM e Mega Hits têm vindo a desenvolver ao longo do tempo.

Os 30 anos de experiência do Grupo Renascença Multimédia “em campanhas de solidariedade na época do Natal traduzem-se em mais de cinco milhões de euros, distribuídos por dezenas de instituições de todo o país”, assinala Isabel Figueiredo, adjunta do presidente do Grupo Renascença Multimédia.

Este esforço solidário é a prova da “imensa generosidade dos portugueses, sublinha Isabel Figueiredo, e permite “abraçar, mais uma vez, e com toda a confiança, esta causa maior que é ajudar quem mais precisa”.

“A capacidade de inovar, determina o presente e o futuro de todas as sociedades, razão pela qual nos congratulamos com esta parceria, que projeta a solidariedade a um novo patamar de impacto social”, destaca.

Vanessa Romeu, diretora de comunicação corporativa do Lidl Portugal, afirma que “a novidade deste programa surge num momento em que o Lidl já tem um histórico consolidado de apoio às comunidades locais e capacitação do terceiro setor, apostando em dar-lhes ferramentas para um trabalho mais eficiente”.

“Damos agora um passo em frente, promovendo projetos empreendedores de intervenção e impacto social com cariz inovador, aproximando duas realidades distintas – IPSS e startups -, que poderão incentivar o desenvolvimento de novas abordagens e metodologias”, refere Vanessa Romeu.

Nos últimos cinco anos, o Lidl Portugal entregou cerca de três milhões de euros a 127 instituições, como a Refood, o CASA ou a Associação Nuvem Vitória, para que estas pudessem melhorar a sua intervenção e abrangência.

Pedro Rocha Vieira, diretor-executivo e cofundador da Beta-i, afirma que “sustentabilidade, responsabilidade social, inovação e empreendedorismo são cada vez mais valores e pilares estratégicos das empresas, e a inovação colaborativa o novo paradigma para se conseguir resolver desafios com mais eficácia e impacto. É um orgulho podermos contribuir para que o “Mais Ajuda” possa alavancar o papel do Lidl e das rádios parceiras junto da sociedade e potenciar um ecossistema de inovação de boas causas.”


De acordo com os dados divulgados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de risco de pobreza era de 17,2% em 2018, uma ligeira descida de 0,1 pontos percentuais. O que significa que há cerca de 2,2 milhões de pessoas que estão em risco de pobreza ou exclusão social em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.