Tempo
|
A+ / A-

Ministra da Saúde garante que escalas "estão asseguradas" no hospital de Faro

30 nov, 2019 - 16:16 • Lusa

Segundo o "Expresso", os cirurgiões do hospital recusam fazer trabalho suplementar no serviço de urgências da unidade algarvia a partir de domingo.

A+ / A-

A ministra da Saúde, Marta Temido, garantiu este sábado que as escalas “estão asseguradas” no Centro Hospitalar Universitário do Algarve - Hospital de Faro, frisando haver um “número significativo adicional” de médicos. “A presidente do Centro Hospitalar Universitário do Algarve já esclareceu numa nota à comunicação social, e já deu conta que as escalas estão asseguradas”, disse Marta Temido, acrescentando que há “um numero significativo adicional de médicos no Centro Hospitalar Universitário do Algarve”.

Segundo uma notícia hoje do jornal "Expresso", os cirurgiões do hospital de Faro recusam fazer trabalho suplementar no serviço de urgências da unidade algarvia a partir de domingo. A decisão, revela o jornal, foi tomada devido às condições de trabalho “manifestamente deficitárias” que faz com que, na escala de dezembro, haja vários turnos sem qualquer cirurgião nas Urgências.

No entanto, a ministra da Saúde garante haver um “número significativo adicional” de médicos, esperando que “a capacidade organizacional do centro hospitalar também tire bom proveito desses recursos”.

Ao "Expresso", Ana Paula Gonçalves, administradora do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, reconheceu as muitas horas que os cirurgiões têm feito nas Urgências de Faro, adiantando que “será feito um reforço da contratação do serviço de médicos externos” além de garantir que “não vai haver turnos sem cirurgiões em dezembro”.

Os cirurgiões do hospital de Faro já haviam tomado uma posição semelhante em abril passado, mas acabaram por recuar na altura, face a um pedido da direção clínica, para que fosse feito um esforço no período do verão e com a promessa que a situação seria resolvida até setembro.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+