Tempo
|

Fotogaleria

Greve climática mundial. Diferentes idiomas, mas uma só mensagem: "Não há planeta B"

29 nov, 2019 - 14:32 • Redação

Movimento iniciado pela ativista Greta Thunberg, em agosto de 2018, realizou hoje a 4ª Greve Climática Mundial. Jovens saíram à rua em 157 países.

A+ / A-

Milhares de jovens de todo o mundo aderiram esta sexta-feira a mais uma greve pelo clima, exigindo ação política urgente para combater as alterações climáticas.

Esta foi a quarta manifestação global do movimento apelidado de “Fridays for Future” (FFF) – "Sextas pelo futuro", em português – iniciado pela ativista Greta Thunberg, em agosto de 2018.

De acordo com os organizadores do FFF, jovens de 157 países responderam ao repto lançado cerca de dois meses depois da última mobilização estudantil pelo clima.

Através destas greves à escola, os estudantes pretendem alertar para a gravidade e urgência de se aprovarem e, acima de tudo, aplicarem medidas de combate ao aquecimento global.

Portugal foi um dos mais de 150 países que voltarem a aderir ao apelo mundial, com manifestações registadas em mais de 2.300 cidades de todo o mundo.

Para além de anteceder a COP25 - Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas - que se realiza a partir do próximo domingo, em Madrid, a greve de hoje coincidiu com a "Black Friday", fenómeno que surgiu nos Estados Unidos, em que várias lojas realizam promoções, e que é normalmente associado ao consumo excessivo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.