|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Tancos. Costa chamado por Azeredo Lopes como testemunha

27 nov, 2019 - 15:23 • João Pedro Barros

Ex-ministro da Defesa é acusado de quatro crimes relativamente ao encobrimento da operação de recuperação do armamento. Informação consta do requerimento de abertura da instrução do processo.

A+ / A-

Azeredo Lopes arrolou António Costa como testemunha de defesa no processo de Tancos, no qual foi acusado de quatro crimes. O nome do primeiro-ministro surge como o primeiro de uma lista de nove testemunhas chamadas pelo ex-ministro da Defesa.

A notícia é confirmada pela agência Lusa, que acrescenta que no requerimento de abertura da instrução são indicados, além de Costa, o tenente-general António Martins Pereira, ex-chefe de gabinete de Azeredo Lopes, Silva Ribeiro, chefe de Estado Maior general das Forças Armadas, e o seu antecessor, o general António Pina Monteiro.

Azeredo Lopes é acusado de denegação de justiça, prevaricação, abuso de poder e favorecimento, relativamente ao encobrimento da operação levada então a cabo pela Polícia Judiciária Militar no achamento do armamento roubado nos paióis de Tancos.

No mesmo documento, apresentado pelo seu advogado, Germano Marques da Silva, o ex-ministro da Defesa diz que a acusação está fundada em “preconceitos, desconhecimento, omissões e falsidades” e declara-se inocente “relativamente a todos os crimes dos quais vem acusado”.

António Costa surge como testemunha depois do diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Albano Morais Pinto, não ter considerado relevante que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o próprio primeiro-ministro fossem chamados a depor como testemunhas neste caso.

A instrução do processo de Tancos será dirigida pelo juiz João Bártolo. O processo de Tancos tem 23 pessoas acusadas, entre as quais Azeredo Lopes, que se demitiu do cargo em outubro de 2018, na sequência das relevações e da polémica em torno do caso
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ANTONIO FERREIRA
    27 nov, 2019 18:17
    Não foi este Ex-Ministro que disse "que se calhar nem roubo houve" e que o Chefe Militar abaixo dele "disse que o apareceu a mais "era só uma caixinha"