|
A+ / A-

Dicionário Oxford escolhe “emergência climática” como palavra do ano

21 nov, 2019 - 14:49 • Redação

Em 2019, "clima" tornou-se a palavra mais associada a "emergência", três vezes mais do que "emergência de saúde".

A+ / A-

O Dicionário Oxford declarou esta quinta-feira como palavra do ano “emergência climática”, afirmando que, atualmente, reflete uma preocupação transversal a todo o mundo.

O uso desta expressão aumentou acentuadamente ao longo de todo este ano, sendo que, em setembro, a utilização detetada já era 100 vezes superior ao registado em 2018.

Este aumento decorre da maior consciencialização pública sobre as questões ambientais, que têm gerado diversos debates e discursos sobre o tema a nível global.

As inúmeras implicações das alterações climáticas estão cada vez mais evidentes em vários pontos do globo, como tem salientado o secretário-geral da ONU, António Guterres, um grande embaixador da expressão agora declarada "palavra do ano" pela organização britânica.

Como explica o Dicionário Oxford em comunicado oficial, na lista final estiveram presentes diversas expressões relacionadas com o clima, como “ação climática”, “extinção”, “aquecimento global” e “baseado em plantas”. Contudo, os especialistas consideraram que “emergência climática” acaba por ser a que reflete melhor a verdadeira urgência que, neste momento, se atribui às alterações climáticas.

Em 2019, "clima" tornou-se a palavra mais comum associada a "emergência", três vezes mais do que "emergência de saúde", que surge em segundo lugar na lista.

Antecipando os comentários que possam surgir, decorrentes do facto de "emergência climática" serem duas palavras, o Dicionário Oxford explica que palavras únicas podem consistir em duas partes. Tais construções, como "ataque cardíaco", "homem de guerra" ou "notícias falsas", são geralmente tidas como uma só palavra, sobretudo para estes efeitos.

"Emergência climática" é definida como "uma situação em que é necessária uma ação urgente para reduzir ou interromper a mudança climática e evitar danos ambientais potencialmente irreversíveis resultantes dela".

A escolha desta palavra surge num ano em que centenas de cidades e países declararam “emergências climáticas” e em que Greta Thunberg, a jovem ativista sueca, se tornou num símbolo mundial da sua geração na luta contra as alterações climáticas e o aquecimento global.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.