Papa na Tailândia

"Não se pode ignorar a crise migratória". Papa elogia Tailândia no acolhimento a migrantes

21 nov, 2019 - 08:03 • Imagens: Vatican News

O Papa Francisco foi recebido, esta quinta-feira, na sede do Governo da Tailândia, em Banguecoque, onde visitou também um hospital pediátrico católico. No seu primeiro Francisco elogiou a forma como o país tem acolhido refugiados de muitos países vizinhos e pediu às sociedades de todos os países do mundo que saibam ser “artesãos da hospitalidade”, dizendo que este é “um dos principais problemas morais colocados à nossa geração”.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Amora Bruegas
    23 nov, 2019 Tomar 11:05
    As migrações sempre existiram, boas e más! O discurso papal muito baseado na imigração, além de revelar um certo fanatismo pró-governo mundial, desvaloriza as suas causas, os fracassos das independências, bem como o fracasso/desinteresse da ONU em resolver os problemas dos povos mais pobres. Desta forma, colabora com a nova escravatura que está na base da invasão europeia por povos imaturos e irresponsáveis. Colabora com a onda de violência, de terrorismo que t~em assolado a Europa nos últimos anos e que tende a aumentar, dada a imposição de costumes, de comportamentos anti-Cristãos, anti-humanos, que começam por não respeitar as culturas europeias, nem os judeus europeus. Até quando?