RR
|
A+ / A-

Rio em Zagreb. “Os dois maiores partidos portugueses reforçaram a sua implantação"

20 nov, 2019 - 19:44 • Lusa

A participar num congresso europeu, Rui Rio realçou o crescimento da representatividade do PS e PSD nas últimas legislativas e destacou a ausência em Portugal de qualquer extremista.

A+ / A-

O presidente do PSD realçou esta quarta-feira, no Congresso do Partido Popular Europeu (PPE), que está a decorrer em Zagreb, que PS e PSD, juntos, reforçaram a representatividade nas últimas legislativas.

Rui Rio discursou em alemão na primeira sessão plenária do Congresso do PPE, no qual participa até quinta-feira, e recordou as recentes eleições legislativas de 6 de outubro, em que o PS obteve 36,34% e o PSD 27,76%.

"Ao contrário do que tem acontecido na maior parte dos países europeus, em Portugal, os dois maiores partidos reforçaram a sua implantação: PS e PSD juntos têm agora 81% dos deputados. O terceiro partido mais votado teve apenas 9% dos votos", salientou o presidente do PSD.

Rui Rio defendeu, perante os seus parceiros do PPE, que "não há, pois, em Portugal, nenhuma nova força política emergente com peso político real e implantação relevante na sociedade".

"Muito menos há qualquer movimento significativo de perfil fascista ou de extrema direita. Nesse aspeto, a Europa e o PPE podem estar sossegados relativamente a Portugal", referiu na Croácia, de acordo com a agência Lusa.

Na dimensão europeia, Rio elegeu a reforma da União Económica e Monetária como uma das prioridades, considerando-a "um elemento decisivo" para "enfrentar futuras crises e garantir a integridade da moeda única".

"Também o quadro financeiro plurianual 2021-2027 é matéria do maior relevo. Ele tem de dar corpo a uma Europa que se preocupa com uma efetiva coesão económica, social e territorial dos seus Estados-Membros. A solidariedade tem de continuar a ser o principal alicerce da construção europeia", defendeu.

O líder do PSD destacou ainda a importância de temas na agenda europeia como a crise migratória, o crescimento económico, o terrorismo, "e, fundamentalmente, as alterações climáticas".

"Quero, por isso, saudar a escolha de Manfred Weber [presidente do grupo parlamentar do PPE] relativamente aos seus três temas para o exercício do próximo mandato do PPE: a Europa Digital, o 'Green Deal' para a Europa, e a Criação de Empregos e de Prosperidade", afirmou.

Em concreto em relação ao 'Green Deal', Rio felicitou também a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, por se ter comprometido a, nos primeiros cem dias de mandato, "apresentar um plano para fazer da Europa o primeiro continente a atingir a neutralidade carbónica".

Sobre o desafio da criação de emprego, o líder do PSD defendeu que a Europa só conseguirá manter a sua influência mundial se souber preparar as suas economias "para uma era de desenvolvimento pós-industrial", "com indústrias de valor criativo, com empresas dotadas de tecnologia de impacto zero nos ecossistemas e com a referida digitalização".

Rio terminou a sua intervenção saudando três personalidades do PPE, começando pela chanceler alemã Angela Merkel, a quem classificou como "a primeira referência da Europa no mundo".

"Alguém que colocou a sua vida pessoal em último lugar e, também por isso, conquistou com toda a justiça um lugar na história da Europa", afirmou.

O líder do PSD agradeceu ainda ao presidente cessante da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, "como exemplo de dedicação ao projeto europeu", e ao presidente cessante do PPE, Joseph Daul, "como exemplo de sensatez, de simpatia e de dedicação" ao Partido Popular Europeu.

"Termino, deixando aqui a minha palavra de confiança no projeto europeu e de empenho na defesa dos valores do PPE. Juntos seremos mais capazes de construir uma Europa mais forte, mais próspera e mais solidária, em que todos possam encontrar mais facilmente o caminho da paz e da felicidade", concluiu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.