|
A+ / A-

Está a aumentar o tempo de espera para cirurgia

20 nov, 2019 - 07:50 • Redação

Pela primeira vez, há 50 mil doentes à espera para lá dos prazos.

A+ / A-

Depois da quebra em 2018, estão a aumentar as listas de espera para cirurgia no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Desde o início do ano registou-se uma subida de 18%.

De acordo com a imprensa desta manhã, pela primeira vez ultrapassou-se a marca de 50 mil de utentes que aguardam por uma intervenção cirúrgica para além do prazo máximo de resposta previsto na lei.

No total há cerca de 245 mil pessoas à espera.

É nas especialidades de cirurgia vascular, ortopedia, otorrinolaringologia e no tratamento para a obesidade, que a espera ultrapassa um ano nalguns hospitais.

O Governo garante que as unidades hospitalares estão a fazer mais consultas e cirurgias, mas a avaliação do plano de recuperação só será feita no início do próximo ano.

Em resposta a um pedido de esclarecimento da Renascença, a Administração Central do Sistema de Saúde enviou um comunicado onde afirma que as “entidades do SNS têm vindo gradualmente a aumentar o movimento assistencial”.

Segundo o mesmo texto, em outubro de 2019, os hospitais públicos aumentaram a sua produção por comparação ao período homólogo, registando mais 1,7% de consultas médicas (total de 10.380.946) e mais 4,2% de cirurgias nos hospitais do SNS (total de 587.337).

“Realça-se que o aumento de entradas em lista de espera para cirurgia é uma consequência de múltiplos fatores, como o aumento do acesso às consultas, associado ao envelhecimento da população, ao aumento de morbilidades, entre outros fatores que têm aumentado a pressão sobre a procura nas unidades do SNS”, pode ler-se.

De acordo com a Administração Central, os tempos médios de resposta nas entidades do SNS para consulta e cirurgia estão estáveis. “Em 2019, a percentagem de consultas realizadas dentro dos tempos máximos de resposta garantidos mantém-se nos 71% e a média do tempo de espera dos doentes operados mantém-se nos 3,3 meses”.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.