Tempo
|
A+ / A-

Urgência pediátrica do Garcia de Orta encerra à noite a partir de segunda-feira

14 nov, 2019 - 20:37 • Lusa

Confirma-se a hipótese já avançada pela Comissão de Utentes do Seixal. Ministra da Saúde anunciou o prolongamento do horário de duas unidades de saúde para colmatar este encerramento.

A+ / A-

O serviço de urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, vai fechar à noite a partir de segunda-feira, disse esta quinta-feira a ministra da Saúde, que prolongou o horário de duas unidades de saúde para colmatar este encerramento.

"Este será um funcionamento de contingência e complementar ao encerramento no período das 20h às 8h da urgência pediátrica do Garcia de Orta", explicou Marta Temido.

A ministra falava numa conferência de imprensa, no Ministério da Saúde, em Lisboa.

"Face às dificuldades para fazer a escala [de profissionais de saúde no Garcia de Orta], esta é a solução que, tecnicamente, foi estudada como a mais adequada e estável", afirmou a governante.

Na altura, explicou que vai ser alargado o horário das unidades de saúde da Amora, no Seixal, e da Rainha Dona Leonor, em Almada, para dar resposta ao encerramento da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, que se concretiza a partir de segunda-feira.

De acordo com a ministra, estas duas unidades de saúde vão passar a funcionar das 8h às 0h, nos dias de semana, e das 10h às 22h, no fim de semana.

Fora das horas de funcionamento destas duas unidades de saúde, os utentes devem utilizar a Linha Saúde 24, através do 808 24 24 24, para que, em caso de situações urgentes, os doentes sejam socorridos pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que deve assegurar o encaminhamento para outros hospitais.

Por seu turno, as urgências do Garcia de Orta passarão a funcionar todos os dias da semana das 8h às 20h, período em que, segundo a ministra, se verifica 80% da procura.

Com esta medida, as urgências pediátricas no Garcia de Orta passam a funcionar também ao fim de semana.

Desde o dia 18 de outubro que as urgências pediátricas daquele hospital fechavam à sexta-feira à noite e só reabriam na segunda-feira de manhã.

Reconhecendo que "não é uma solução ideal, porque é de contingência", a governante considerou que a resposta encontrada é a que garante "mais segurança" para os utentes.

"A mais adequada para o propósito de garantir à população uma assistência com regularidade, estável, num período de dificuldade de fixação dos recursos humanos", ressalvou.

Quando questionada pelos jornalistas sobre a duração deste encerramento, Marta Temido referiu que "tudo depende da capacidade de captar pediatras e conseguir normalizar o serviço".

A esse respeito, a ministra de saúde disse que o hospital abriu, em 2018, quatro vagas para pediatria e, em 2019, três vagas e que apenas um clínico aceitou trabalhar nesta unidade de saúde.

Marta Temido explicou que, neste momento, trabalham no Hospital Garcia da Orta 29 pediatras, sendo que, destes, 11 fazem parte da unidade de Neonatologia e, desses, apenas quatro fazem urgências pediátricas.

A urgência pediátrica já tinha fechado por diversas vezes em outubro devido à falta de especialistas, levando o hospital a implementar um modelo de encerramento aos fins de semana.

A falta de pediatras no Garcia de Orta afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu".

Esta quinta-feira, a ministra da Saúde anunciou também que no início do ano será lançado um novo concurso para a contratação de mais pediatras.

[Notícia atualizada às 21h15]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.